EUA:1 a cada 5 pais afirma que aumentou o consumo de fast food dos filhos com a pandemia, diz estudo


A pandemia mudou os hábitos alimentares das famílias norte-americanas, aponta estudo da Universidade de Michigan. Uma pesquisa nacional dos Estados Unidos, baseada nas respostas de mais de 2 mil pais de crianças e adolescentes de 3 a 18 anos, foi divulgada nesta segunda-feira (20).


As respostas do estudo:

  • Um em cada cinco pais afirma que seus filhos estão comendo fast food com mais frequência na pandemia;

  • Um em cada seis pais diz que seus filhos comem fast food pelo menos duas vezes por semana;

  • 40% dos pais relataram estar muito ocupados para cozinhar e um em cada cinco disse que estava muito estressado;

  • Um terço dos pais também afirma que o fast food tem uma boa relação custo-benefício;

  • 24% consideram que é mais barato do que fazer as refeições em casa.

De acordo com Gary L. Freed, codiretor de pesquisas e pediatra no C.S. Mott Children's Hospital, que coordenou o estudo, a pandemia "interrompeu muitas rotinas familiares, incluindo onde e o que eles comem". "Sabemos que o estilo de vida das famílias pode afetar a dieta das crianças e vimos como a pandemia pode ter mudado seus hábitos alimentares". A pesquisa também mostrou que há uma relação direta entre a percepção dos pais sobre o peso dos filhos e o consumo de alimentos processados e fast food. Mães e pais que disseram que seus filhos estão acima do peso geralmente têm mais probabilidade de servir alimentos rápidos pelo menos duas vezes por semana.

Um ponto importante da pesquisa é a dificuldade que passou a ser enfrentada pelos pais após o início da pandemia: a falta de tempo para cozinhar. Além disso, 20% disseram que estavam muito estressados. Esses relatos também foram relacionados com maiores índices de sobrepeso entre as crianças analisadas. Freed diz que os pais geralmente reconhecem que o consumo de fast food não é o ideal para seus filhos, mas veem que é um alimento "às vezes aceitável", desde que com moderação. No entanto, 88% dizem que não escolhem tudo o que eles devem comer e que a escolha fica a critério da própria criança ou adolescente.

"Uma refeição de fast food geralmente excede a ingestão recomendada de gordura, sódio e calorias para o dia inteiro, sem fornecer muitos nutrientes", disse Freed. "Os pais devem considerar o uso de informações nutricionais para ajudar seus filhos a aprender como fazer escolhas mais saudáveis".


Fonte: G1

7 visualizações0 comentário