Segredo da longevidade? Estudos mostram que otimistas vivem mais



De acordo com um novo estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, publicado na última quarta (8/6) na revista científica Journal of the American Geriatrics Society, a receita pra viver mais de 90 anos é simples: ser otimista.


Segundo os pesquisadores, o otimismo pode ser influenciado por fatores estruturais, mas os benefícios de ter uma visão positiva sobre a vida podem levar à longevidade em vários grupos étnicos. “Otimismo pode ser um importante ponto de intervenção para a longevidade”, explicou a autora do estudo, Hayami Koga, em comunicado à imprensa.


Participaram do estudo 159 mil mulheres, que completaram um questionário sobre otimismo, informações de saúde e dados demográficos. As informações foram processadas por um computador e cruzadas com um modelo usado para prever o relacionamento entre várias variáveis.


Outras características importantes, como estilo de vida, tiveram impacto “modesto” na probabilidade de viver mais de 90 anos, quando em comparação com o otimismo. Ver a vida de forma positiva trouxe um aumento de 5,4% na longevidade, de acordo com os cientistas.


Hábitos mais saudáveis


O assunto não é novo: outras pesquisas já mostraram que pessoas otimistas tendem a viver mais. Um estudo de 2019, publicado na revista científica PNAS, mostra que homens e mulheres otimistas têm uma vida, em média, 11% a 15% mais longa. Os resultados foram os mesmos mesmo quando se leva em consideração o status socioeconômico, condições de saúde, depressão, tabagismo, dieta e uso de álcool.


Outros estudos mostraram que pessoas otimistas tendem a ter uma dieta mais saudável, e se exercitar com frequência e dormir melhor, além de um ter o coração mais saudável, sistema imunológico mais forte e menor risco de morte.


Não se considera um otimista? É possível mudar esse cenário. Especialistas sugerem anotar diariamente os pontos positivos da rotina e se visualizar em um futuro onde tudo deu certo, imaginando tudo o que você teria alcançado para chegar lá.


Fonte: Metrópoles

1 visualização0 comentário