Pessimistas morrem dois anos antes das outras pessoas, sugere estudo



O modo como você planeja e encara a rotina pode ser decisivo para a sua expectativa de vida. Pelo menos é isso que sugere um estudo feito na Austrália publicado na revista Nature na terça-feira (28/7). Pesquisadores do QIMR Berghofer Medical Research Institute descobriram que pessimistas tendem a morrer cerca de dois anos antes das outras pessoas – sejam elas realistas ou otimistas.


A equipe aplicou um questionário para cerca de 3.000 participantes com 50 anos ou mais e os pesquisadores qualificaram os grupos em escores de pessimistas e otimistas. Os participantes receberam uma pontuação em uma escala de otimismo-pessimismo, com base no quanto eles concordaram ou discordaram das afirmações.


O teste continha frases otimistas como “Estou sempre otimista sobre o meu futuro” e “Eu sempre olho para o lado positivo das coisas” e pessimistas como “Eu quase nunca espero que as coisas sigam do meu jeito” e “Se algo pode dar errado para mim, vai dar”.


A partir das marcações, as pessoas acumulavam pontos até obterem um resultado final. Após a classificação, os cientistas notaram que aqueles que pontuaram mais como pessimistas tendiam a morrer, em média, dois anos antes do que os não pessimistas. Eles estavam mais expostos a doenças cardiovasculares e outras causas de morte, exceto câncer.


“Pode-se pensar que as pessoas pessimistas não cuidam de si mesmas e de sua saúde. Elas podem pensar que não há sentido em seguir conselhos sobre dieta, exercício e assim por diante”, afirmou o bioquímico John Whitfield, o principal autor do estudo, em entrevista à ABC Australia.


Embora o estudo sugira a morte precoce dos pessimistas, isso não significa que ser otimista ao extremo faça a pessoa prolongar a vida. Os pesquisadores notaram que os altos escores de otimismo não se correlacionavam com uma expectativa de vida mais curta ou mais longa.


Fonte: Metrópoles

7 visualizações

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram