Enxaqueca: 4 tratamentos para acabar com a dor


 
 

A enxaqueca, diferente do que algumas pessoas imaginam, não é uma dor de cabeça simples. Segundo o Hospital Israelita Albert Einstein, ela tende a provocar dores unilaterais e latejantes. Em alguns casos pode, inclusive, ter a companhia de outros sintomas como náuseas, vômitos e intolerâncias à sons, cheiros e luzes. O problema, geralmente, é ocasional e dura de quatro a 72h. Suas causas podem ter ligação com herança genética e outros fatores.


Segundo uma estimativa realizada pela OMS (Organização Mundial de Saúde), a enxaqueca atinge, aproximadamente, 324 milhões de pessoas em todo o mundo. Sendo que, no Brasil, 15% da população total do país sofre com o problema.


“Por muito tempo não houve tratamento definitivo para a enxaqueca, sendo que os medicamentos para controle da dor já instaurada e os profiláticos, para prevenção, eram as melhores alternativas. Atualmente, entretanto, existem novas opções que aumentam as chances de uma cura para enxaqueca”, afirma o Dr. Paolo Rubez, médico especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Por isso, o especialista nos ajudou a listar os quatro principais tipos de tratamento para acabar com a enxaqueca. Lembrando que todos eles, obrigatoriamente, precisam ser sugeridos e acompanhados pelo seu médico. Confira:


Medicamentoso – Para casos isolados e mais simples, a primeira forma de tratar a enxaqueca é com o uso – devidamente prescrito por um médico capacitado – de medicamentos mais simples. Como, por exemplo, analgésicos e anti-inflamatórios.


Alternativo – Mas, nesses casos isolados, também não é raro que as pessoas busquem uma maneira diferente de tratar a enxaqueca, sem a necessidade de ingerir medicamentos químicos. Uma delas é a acupuntura, que tem a capacidade de reduzir a tensão de diferentes pontos do corpo. Porém, mesmo quem optar por esse método, deverá procurar auxílio e orientação profissional.


Toxina botulínica – “A substância, já usada nos tratamentos faciais de rugas, promove a paralisia temporária dos músculos, evitando a transmissão da dor para o sistema nervoso central e reduzindo as ocorrências de crises”, diz o Dr. Paolo. A aplicação, no entanto, só pode ser realizada por um profissional devidamente capacitado.


Cirurgia – É considerado o tratamento definitivo para a enxaqueca, por atuar diretamente nos nervos que provocam a dor. Porém, nem todo mundo pode realizar o procedimento. Os pré-requisitos – além, claro, de ter um diagnóstico para enxaqueca realizado por um neurologista –, de acordo com o médico, são:

  • Sofrer com duas ou mais crises severas de dor por mês, que não conseguem ser controladas por medicações;

  • Pacientes que sofram com efeitos colaterais das medicações para dor ou que tenham intolerância a estas medicações;

  • Quem deseja realizar o procedimento devido ao grande comprometimento que as dores causam em sua vida pessoal e profissional.

“A duração da cirurgia, para cada nervo, é de cerca de uma a duas horas, e o paciente tem alta no mesmo dia, ou no dia seguinte”, finaliza o Dr. Rubez.


Fonte: Saúde em dia

10 visualizações0 comentário