top of page

Cão 'fisioterapeuta’: a história de Poppy, um labradoodle que se tornou estrela ao ajudar crianças hospitalizadas



Está comprovado que trabalhar com cães treinados em hospitais ajuda na recuperação de doenças. Agora este novo benefício chegou ao sistema de saúde público do Reino Unido com o primeiro cão “fisioterapeuta”. O nome dele é Poppy, uma labradoodle de 9 anos. Ele atua no hospital Addenbrooke em Cambridge, Inglaterra.


Ele e seus donos são voluntários na instituição de caridade Pets As Therapy (Animais de estimação como terapia, em tradução livre) que possibilita a motivação das crianças, bem como trazer alegria e força de vontade na recuperação delas. Muitas delas tiveram ossos quebrados, lesões cerebrais e problemas no desenvolvimento.


Os cachorros já foram usados para ajudar na reabilitação de pacientes adultos, e Poppy faz parte de um projeto piloto dentro do hospital para ver se ela poderia ajudar também crianças.


Uma dessas jovens escolhidas foi Evie Evans, de 13 anos. Ela ficou impossibilitada de andar devido a complicações causadas pela síndrome de Down e após uma infecção pulmonar quase fatal em julho. Mas sua confiança cresceu ao sentar-se na cama e brincar com Poppy, que também estava presente durante a terapia mais intensiva de Evie.


“Foi um momento incrível. Foi por causa de Poppy que Evie ficou ao lado dela pela primeira vez nas barras paralelas. Poppy fez Evie fazer coisas que ela não teria feito de outra forma”, afirma a mãe de Evie, Sara Evans.


O piloto de três meses, liderado pelo fisioterapeuta pediátrico Jonny Littlewood, deu certo e tornou-se uma característica permanente no hospital. Mais de 40 crianças foram apoiadas por Poppy.


“Ela é uma labradoodle tão feliz e de cabelos cacheados, trazendo consigo uma energia contagiante. Poppy se adapta a cada criança e é capaz de pressionar os pacientes para que atinjam seus objetivos terapêuticos mais rapidamente”, explica o médico.


Fonte: O Globo

1 visualização0 comentário
bottom of page