Alergia à água: entenda doença rara que leva pessoas a evitarem banhos



Há um ano, Abigail Beck, 15 anos, não bebe água. Atividades simples, como tomar banho ou beber um copo de suco, são verdadeiras torturas para a adolescente do Arizona, nos Estados Unidos, que descobriu ser alérgica à água.


Ela foi diagnosticada no último mês com urticária aquagênica, uma doença extremamente rara, que afeta apenas uma em cada 200 milhões de pessoas. Quando a pele desses pacientes entre em contato com a água, fica recoberta de manchas vermelhas e feriadas dolorosas.


“Minhas próprias lágrimas fazem meu rosto ficar vermelho e queimar muito. Quando eu choro, dói. As lágrimas são uma das piores partes disso, porque quando você chora, suas lágrimas não deveriam queimar sua pele”, desabafou a jovem ao jornal britânico Daily Mail.

No caso de Abigail, as reações adversas à água começaram em 2019. Ela lembra que não era levada à sério quando reclamava, até que o problema se tornou mais grave.


“Demorei muito tempo para ser diagnosticada. A alergia progrediu lentamente e começou a piorar com o tempo. Quando chovia, doía muito, parecia ácido, então perguntei à minha mãe se a chuva parecia ácida para ela e ela disse que não”, recordou.

Desde então, ela passou a evitar tomar banhos – hoje a frequência é de um a cada dois dias – e começou a tomar anti-histamínicos e esteroides para combater as reações.


Para ela, beber água provoca ânsia de vômito e, por isso, adotou energéticos e suco de romã, que contêm menos água em suas composições, para se hidratar.

“Eu vomito se bebo água, meu peito dói muito e meu coração começa a bater muito rápido. Tenho que verificar os rótulos, mas tudo neste mundo tem água. A última vez que bebi água foi há um ano”, contou.

A causa da urticária aquagênica não é definida. Os médicos dizem que a causa não é genética.


Fonte: Metrópoles

7 visualizações0 comentário