Acordar mais tarde pode ajudar a diminuir a enxaqueca em adolescentes, aponta estudo



Um estudo realizado pelo centro médico da Universidade de San Francisco, na Califórnia, aponta que adolescentes que tiveram mais horas de sono por irem à escola mais tarde diminuíram a quantidade de dores de cabeça durante a semana.


Os pesquisadores descobriram que os adolescentes com enxaqueca - que estudavam durante a manhã - tiveram uma média de 7 dias de dor de cabeça por mês. Isso foi quase três dias a mais de dor de cabeça do que aqueles com horários escolares mais tardios. O estudo concluiu que dormir o suficiente e manter um horário regular de sono pode reduzir a frequência das enxaquecas.

Foram recrutados cerca de mil alunos do ensino médio por meio das redes sociais para identificar a relação entre o horário de início do período escolar e a frequência da enxaqueca. Os voluntários foram separados em dois grupos: 509 alunos que começaram as aulas antes das 8h30 e 503 que começavam a estudar após esse horário.

Foi considerado o horário em que os estudantes iam dormir e o tempo de deslocamento de casa até a escola:

  • Ambos os grupos tinham uma média de 24 minutos de deslocamento para a escola

  • O primeiro grupo acordava às 6h25 e começava a escola às 7h56

  • O segundo grupo acordava um pouco mais tarde, às 7h11 e começando a escola às 8h43.

  • O grupo que começou mais tarde foi para a cama mais cedo nas noites de escola - em média às 22h19, contra 22h58 no grupo que começou mais cedo.

Os voluntários que acordavam mais cedo, registraram em média 7 dias de dores de cabeça por mês, enquanto o segundo grupo teve uma média de 4 dias. A diferença diminuiu para 7 e 5 dias quando os pesquisadores ajustaram para fatores de risco, como sono inadequado, se tomavam café da manhã, sexo, série, volume de trabalhos de casa, uso de medicamentos para enxaqueca. Relógio biológico Os especialistas apontam que a rotina dos adolescentes não responde ao relógio biológico (ou circadiano) natural. Isso significa que os jovens estão indo dormir cada vez mais tarde, mas o horário de acordar não foi modificado. Como consequência, eles não dormem a quantidade suficiente.

Em resposta ao atraso do relógio circadiano dos adolescentes, a Academia Americana de Pediatras, emitiu uma série de recomendações para que as escolas de ensino fundamental e médio nos Estados Unidos, passem a iniciar as aulas após às 8h30. No entanto, apenas 18% das escolas públicas de ensino fundamental e médio aderiram a essa recomendação, de acordo com Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Além de apresentarem sonolência, irritação e em alguns casos até prejudicar a rotina, o estudo sugere que esse fator também aumenta a incidência de crises de enxaqueca.


Fonte: G1

1 visualização0 comentário

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram