Covid: Fiocruz recomenda cautela com festas e viagens de fim de ano


A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) fez um alerta, nesta sexta-feira (26/11), sobre a importância da manutenção dos cuidados contra o coronavírus durante as comemorações de final de ano. No mesmo dia, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou que a variante Omicrom, surgida na África, deve ser encarada com preocupação pelo mundo.


Na nova edição do Boletim do Observatório Covid-19, os pesquisadores chamam atenção para a nova onda de transmissão do coronavírus em países europeus e para a possibilidade de espalhamento de novas variantes no continente. O texto não faz uma menção específica à Omicrom, mas lembra que a mobilidade que caracteriza o fim de ano e o período de férias aumenta as possibilidades de transmissão do vírus.


Os cientistas ressaltam a necessidade de continuar avançando com a vacinação (primeira e segunda doses e o reforço vacinal) e ainda defendem medidas como a exigência de imunização contra Covid-19 para entrada no Brasil, a exigência do passaporte de vacina em locais públicos e a testagem de pessoas que chegam ao Brasil.


Queda nos indicadores

As últimas duas semanas mostraram nova queda nos indicadores da transmissão da Covid no Brasil, com fortes oscilações nos registros nos estados. Foram notificados uma média diária de 9,8 mil casos confirmados e 230 óbitos pela doença. Os valores representam a redução do número de casos registrados (-1% ao dia) e do número de óbitos (-1,2% ao dia), havendo também uma redução da taxa de letalidade.

“As vacinas não bloqueiam completamente a transmissão, mas contribuem para reduzir os casos críticos, graves, internações e óbitos. Por isso, é importante continuar avançando para que a população complete o esquema vacinal de forma a continuar aumentando a cobertura vacinal”, observam os cientistas.

Apesar da queda dos indicadores, os especialistas da Fiocruz destacam que é fundamental manter o uso de máscara em ambientes abertos e fechados com aglomeração, e mesmo em ambientes privados fechados em circunstâncias que reúnam pessoas que não vivam juntas, especialmente os pessoas de grupos vulneráveis.


Fonte: Metrópoles

0 visualização0 comentário