top of page

Beber água reduz risco de pedra no rim e pode evitar crise, como a que acometeu Tarcísio de Freitas



Intensa e aguda, a crise renal é uma das piores dores que existem e chega a ser comparada por alguns à dor de parto. A recomendação médica é beber água para reduzir o risco de pedra no rim e, assim, evitar chegar na crise, como a que acometeu o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas.

Internado em um hospital de Londres desde a noite de segunda-feira (27), ele passará por um procedimento para a retirada de um cálculo renal. À TV Globo, o governador relatou que costuma ter crises renais com frequência, mas que, desta vez, a dor foi muito forte. Chamado também de pedra nos rins, o cálculo renal é uma formação endurecida nos rins ou nas vias urinárias por conta do acúmulo de cristais existentes na urina.

  • Geralmente, as pedras começam do tamanho de um grão de areia.

  • As pedras variam em forma e tamanho.

  • Uma em cada dez pessoas sofre com pedras nos rins no país, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia.

  • Beber água e evitar excesso de sal e proteína reduzem o risco de pedra no rim.

  • Qualquer pessoa pode ter cálculo renal, mas a predominância é entre os 20 e 50 anos de idade.

🌞 Dias de calor No verão, a incidência de pedra nos rins aumenta 30%. João Luiz Amaro, professor da Unesp de Botucatu e coordenador do Grupo Latinoamericano de Estudo em Litíase (pedras nos rins), explicou no podcast do Bem Estar (ouça ao final desta reportagem) que isso ocorre porque as pessoas tomam menos líquido no calor e produzem menos urina. 🩺Tratamento O tratamento vai depender do quadro do paciente: qual a quantidade de cálculos, tamanho e localização.

  • No estágio inicial, pode ser feito por meio de medicamentos e aumento no consumo de água.

  • Para pedras maiores, pode ser usado um cateter ou até mesmo cirurgia.

💧 Atenção! Amaro faz um alerta sobre o consumo de água durante a crise renal: Na fase aguda, deve-se tomar água normal, mas não se deve hiper-hidratar. Você já está com obstrução, se tomar mais líquido, vai aumentar a pressão no rim e, consequentemente, vai aumentar a dor. Não tome demais, mas não deixe de tomar.

— João Luiz Amaro, professor da Unesp de Botucatu e coordenador do Grupo Latinoamericano de Estudo em Litíase Fatores de risco

  • Obesos

  • Sedentários

  • Diabéticos

  • Pessoas que moram em locais mais quentes

  • Histórico de doença na família

  • Pouca ingestão de água

  • Dieta rica em proteínas e em sal

Sintomas

  • Dor muito forte, quase insuportável, que começa nas costas e se irradia para o abdômen em direção à virilha. É uma dor que se manifesta em cólicas, isto é, com um pico de dor intensa seguido de certo alívio.

  • Náuseas e vômitos.

  • Sangue na urina.

  • Suspensão ou diminuição do fluxo urinário.

  • Necessidade de urinar com mais frequência.

  • Infecções urinárias.

Como prevenir?

  • Aumentar a ingestão de água e de sucos naturais.

  • Diminuir o consumo de sal e de alimentos ricos em proteína animal.

  • Praticar atividade física regularmente.


Fonte: G1

15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page