Vacinação de crianças contra a Covid-19: veja o que se sabe e o que está em prática no mundo


 
 

Um comitê independente da agência regulatória dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) recomendou, nesta semana, que a vacina da Pfizer contra a Covid-19 seja aplicada em crianças de 5 a 11 anos no país.


A recomendação veio dias depois que a Pfizer divulgou que a vacina teve uma eficácia de cerca de 91% para casos sintomáticos de Covid-19 nessa faixa etária.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou ao g1, nesta quarta-feira (27), que "não recebeu pedido da empresa Pfizer para inclusão do público de 5 a 11 anos na bula da vacina contra Covid, Comirnaty".

Veja, abaixo, o que se sabe até agora sobre a vacinação de crianças:

  1. Crianças de 5 a 11 anos já podem ser vacinadas nos EUA?

  2. O que diz a OMS?

  3. O que dizem os estudos?

  4. Qual dose será aplicada nessa faixa etária?

  5. Em quais países crianças dessa idade já estão sendo vacinadas? Com quais vacinas?

1) Crianças de 5 a 11 anos já podem ser vacinadas nos EUA? Ainda não. Para que isso aconteça, a própria FDA precisa aceitar a recomendação do comitê independente – o que é esperado que aconteça. Depois, o Centro de Controle de Doenças (CDC) precisa fazer a mesma recomendação. Segundo o jornal americano "The New York Times", o infectologista Anthony Fauci, principal assessor médico da Casa Branca, prevê que a vacinação nessa faixa etária deve começar já no início de novembro. 2) O que diz a OMS? Em uma página atualizada pela última vez em 14 de julho, a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomenda a vacinação, mas também não contraindica.

A entidade reconheceu que seu Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas (SAGE, na sigla em inglês) concluiu que a vacina da Pfizer "é adequada para uso por pessoas com 12 anos ou mais". Naquela época, a vacinação a partir dos 12 anos já havia sido liberada nos Estados Unidos.

"Crianças e adolescentes tendem a ter doença mais branda em comparação com adultos, portanto, a menos que façam parte de um grupo com maior risco de Covid-19 grave, é menos urgente vaciná-los do que pessoas mais velhas, com condições crônicas de saúde e profissionais de saúde", dizia a organização em julho.

A OMS considerava que "mais evidências são necessárias sobre o uso das diferentes vacinas da Covid-19 em crianças para poder fazer recomendações gerais sobre a vacinação". 3) O que dizem os estudos? A pesquisa que a Pfizer fez com a vacina em crianças de 5 a 11 anos apontou que ela é segura e induziu uma resposta imune "robusta" nesse grupo.

A vacina foi "bem tolerada, com efeitos colaterais geralmente comparáveis aos observados em participantes de 16 a 25 anos de idade", disse a farmacêutica.

A empresa também disse que o nível de anticorpos produzido pelo sistema imune das crianças foi "não inferior" ao que havia sido visto na faixa etária de 16 a 25 anos – um requisito necessário para que a vacina fosse aplicada nos mais novos.

Bebês e crianças de 6 meses até 4 anos também estão participando de outros ensaios, separados, da vacina, com uma dosagem menor. Além da Pfizer, a Moderna também divulgou resultados recentes de sua vacina em crianças: a empresa constatou que seu imunizante é seguro e induziu uma resposta imune nesse público. A vacina, entretanto – que usa a mesma plataforma do imunizante da Pfizer – não está disponível no Brasil. 4) Qual dose será aplicada nessa faixa etária? Ainda não se sabe. Nos testes, a Pfizer usou duas doses de 10 µg (microgramas) cada, aplicadas com 21 dias de intervalo.

Em comparação, nas pessoas a partir dos 12 anos, a dose é de 30 µg. 5) Em quais países crianças dessa idade já estão sendo vacinadas? Com quais vacinas? Em ao menos 4: Argentina, Chile, China e Cuba.

  • Argentina: crianças de 3 a 11 anos já podem se vacinar, mas apenas com o imunizante da Sinopharm, que não está disponível no Brasil. Aplicado em duas doses, ele é feito de vírus inativado – assim como a CoronaVac, que é aplicada no Brasil.

  • Chile: começou a vacinar crianças de 6 a 11 anos em 27 de setembro.

  • China: governos locais de ao menos 5 províncias emitiram avisos nesta semana anunciando que crianças de 3 a 11 anos serão obrigadas a receber a vacina, segundo a agência de notícias americana Associated Press (AP). Em ao menos uma delas – a província de Hebi, no norte do país – , a imunização já começou.

  • Cuba: já começou a vacinar crianças a partir dos 2 anos – menor faixa etária do mundo – com uma vacina produzida localmente, a Soberana 02.

Fonte: G1

5 visualizações0 comentário