Slide com cena de um homem sufocando a parceira causa indignação em congresso médico

O encontro anual da World Airway Management , realizado em Amsterdã, no início de novembro, com cerca de 1.800 médicos, residentes e especialistas, foi logo tomado por uma polêmica sobre uma série de comentários de cunho sexual inapropriados feitos por um dos palestrante de renome.

Muitos participantes usaram o Twitter para criticar o palestrante por fazer piadas sobre o ponto G feminino e mostrar a imagem de um homem sufocando uma mulher. Em resposta, a conta oficial do congresso tuitou um breve pedido de desculpas.

Essa controvérsia faz parte de um padrão infeliz, disse Esther Choo, professora associada de medicina de emergência na Oregon Health & Science University e membro fundador da Time’s Up Healthcare. O incidente é o exemplo mais recente de como esse tipo de evento ainda está lutando para acomodar uma audiência de médicos cada vez mais diversos, disse Esther.

“Vejo isso acontecer rotineiramente”, ela observou. “É apenas um indicador da cultura geral presente nos congressos científicos e em outros fóruns, onde este tipo de fala e o uso deste tipo de imagens não é visto como inaceitável”.

O congresso em Amsterdã era o segundo encontro da World Airway Management (WAMM). O evento foi organizado por: Difficult Airway Society (DAS), Society for Airway Management (SAM) e European Airway Management Society (EAMS).

No primeiro dia da conferência, quinta-feira, 14 de novembro, cerca de 1.000 participantes compareceram para assistir às apresentações no auditório principal, de acordo com Chris Elton, anestesista obstétrico da Leicester Royal Infirmary, na Inglaterra, que estava presente.

Durante a segunda sessão principal, o Dr. Massimiliano Sorbello, anestesiologista da Università degli Studi di Catania, na Itália, e membro do conselho da EAMS, deu uma palestra intitulada: “O papel da pressão cricoide/ventilação com pressão positiva em 2019”. Ele começou comparando encontrar a via aérea com encontrar o “ponto G da mulher”, segundo vários participantes disseram ao Medscape. Em outro momento da apresentação, ao discorrer sobre o uso das duas mãos como técnica para executar a pressão cricoide, o Dr. Massimiliano exibiu uma foto em preto e branco de um homem com as mãos em volta da garganta de uma mulher.

A reação no auditório foi variada, de acordo com Andrew Weatherall, diretor médico da CareFlight, uma organização sem fins lucrativos, “algumas pessoas que estavam perto de mim chegaram a exclamar: “Que … é essa?!”, mas também ouvi muitas risadas”, escreveu Andrew em um e-mail para o Medscape.

No Twitter, várias mulheres que estavam no evento rapidamente deixaram claro como se sentiam sobre os comentários de Massimiliano.

“Caramba, uma piada sobre o ponto G feminino e agora outra sobre estrangular a esposa” tuitou Karen Stacey (@karenstacey82), residente de anestesia no Reino Unido. “Sugiro que o restante dos palestrantes do congresso dê um passo atrás e leve em conta o público consideravelmente grande de mulheres profissionais, e se lembre que estamos em 2019. Apenas pare. #WAMMsterdam.”

“Agora, uma piada sobre estrangular a esposa. Mas está tudo bem, porque é uma piada. Isso faz com que seja aceitável”, escreveu Natalie Silvey (@silv24), que também é residente de anestesia no Reino Unido.

“Como alguém que já foi estrangulada por um ex-namorado, isto não é piada. Nunca é piada. #WAMMsterdam.”

Muitos outros, inclusive Chris e Andrew, entraram na conversa no Twitter para dizer que também acharam os comentários inapropriados.

Em seguida, Natalie tuitou: “Caro comitê organizador do @WAMM_2019 – eu acabo de sair de uma sessão por causa do conteúdo inapropriado. Isso precisa ser resolvido com urgência – esse tipo de comentário nunca deveria ser permitido sem contestação e, para começar, nem deveriam ser feitos #WAMMsterdam.”

Em resposta, a conta oficial do congresso WAM respondeu consistentemente com a mesma mensagem: “Em nome do WAMM, caso alguém tenha se ofendido por algum comentários ou slide apresentados nesta manhã, pedimos sinceras desculpas em nome do comitê organizador do congresso WAM”.

Isso desencadeou uma nova onda de tuítes.

“Olá, vocês parecem confusos sobre como fazer um pedido de desculpas apropriado”, afirmou @dr_ashwitt em um tuíte que listou outras maneiras como os organizadores poderiam resolver o problema.

“Esta é uma resposta ‘sinto muito caso você tenha se ofendido’… Péssima forma de usar o marketing da WAM”, escreveu @ TharushaGunawa4.

“Isso não basta, vocês precisam abordar o comportamento, deixando claro que [esse tipo de conduta] não é aceitável”, tuitou @lozzlemcfozzle.

Para Esther, essa “não-desculpa clássica” foi a parte mais decepcionante da controvérsia. “Acho que parte do crescimento de uma organização nessa área é estar aberta à críticas e feedbacks“, disse ela.

Até onde Andrew e Chris sabem, os organizadores do congresso não publicaram outra declaração ou reconhecimento sobre o ocorrido. Os organizadores, inclusive os dois diretores do evento, não se manifestaram diante de diversos pedidos de comentários.

“Acho que algumas pessoas simplesmente usaram alguns conteúdos dos meus slides de forma exagerada ou distorceram o significado deliberadamente, a fim de ganhar visibilidade e popularidade”, escreveu Massimiliano em um e-mail para o Medscape. Ele disse que não tinha nada a acrescentar à declaração oficial dos organizadores da WAMM, embora ele tenha postado um pedido de desculpas no Twitter.

Natalie, Karen e várias outras pessoas que protestaram contra os comentários no Twitter se recusaram a ser entrevistadas para esta matéria. Esther disse que, embora ache que seja um ato “corajoso” denunciar esse tipo de comportamento nas redes sociais, ela acredita que muitas pessoas pensam que falar com a imprensa é um passo grande demais, com possibilidade de retaliação profissional.

“Ninguém quer ser a pessoa que trouxe atenção negativa do público para uma organização que o representa”, disse Esther. “Você não quer ser rotulado como alguém que causa de problemas.”

Para enfrentar essa questão de frente, Esther recomendou que produtores desse tipo de evento criem diretrizes claras e rigorosas para palestrantes e apresentadores. As diretrizes devem ser fornecidas e reiteradas em todas as etapas do processo de inscrição e participação de alguma conferência. Além disso, impor claras repercussões por não seguir os códigos de conduta. Aumentar a diversidade entre os organizadores e palestrantes de congressos também poderia contribuir para começar a resolver esse problema, disse ela.

Por dias após o incidente, a conversa continuou on-line. Uma anestesista (Tanya, @GongGasGirl) resumiu como ela e outras pessoas que assistiam o desenrolar dos acontecimentos estavam se sentindo: “Ignorar questões afirmando que as pessoas são ‘sensíveis demais’, que ‘não podem aceitar uma piada’ ou ‘ah, esse é o jeito dele’, ‘mas é um especialista’, não basta em 2019. É com isso que as mulheres lidam o tempo todo no ambiente de trabalho. Estamos cansadas disso.”

Fonte: Medscape

#congresso #indignação #slide #sufocamento

0 visualização

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Facebook
  • Instagram