Secretaria de Saúde de Goiás colhe secreções dos repatriados e da tripulação que viajou à China

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) coletou neste domingo (9), na Base Aérea de Anápolis, secreções dos 34 repatriados e dos 24 membros da equipe que fizeram o resgate na China devido ao surto do coronavírus. Após o pouso das aeronaves, eles iniciaram uma quarentena, que durará 18 dias. Todo o material será analisado pelo Laboratório de Saúde Pública de Goiás (Lacen).

Foram retiradas amostras do nariz e da garganta de todas as 58 pessoas que estavam no avião. Elas serão examinadas para constatar a existência ou não do coronavírus bem como de outros 21 tipos de vírus. De acordo com a SES-GO, o resultado para o novo coronavírus está previsto para quarta-feira (12). Para os demais, as datas de divulgação serão definidas nesta segunda-feira (10), segundo a Secretaria.

Segundo a superintendente de vigilância em Saúde da SES-GO, Flúvia Amorim, a possibilidade de algum resultado dar positivo é bastante improvável. “Estão todos muito saudáveis”, afirmou. Flúvia revelou, ainda, que o mesmo procedimento será realizado no 14º dia da quarentena. Ela explica o porquê desta data específica.

“É o último dia do período de incubação do coronavírus e dos outros. Isso quer dizer que, se a pessoa estiver infectada, vai apresentar sintomas em até 14 dias”, informa.

Além dessa coleta, o grupo será monitorado e terá os sinais vitais e temperatura medidos três vezes ao dia. No entanto, esse acompanhamento será feito pelos 14 médicos que participaram da missão que resgatou os brasileiros em Wuhan, epicentro do coronavírus.

Logo após o pouso das duas aeronaves no início desta manhã, o Ministério da Defesa informou que todos a bordo estavam muito bem de saúde e assintomáticos.

O Ministério da Saúde informou, na última sexta-feira (7), que iria avaliar a necessidade de quarentena para membros da equipe de apoio que participou da missão de repatriação. Na ocasião, Júlio Croda, diretor do departamento de imunização e doenças transmissíveis do órgão, disse que a conclusão sobre a necessidade da quarentena seria examinada caso a caso.

“Vai ser avaliado se elas devem permanecer em quarentena ou não. Isso é de pessoa para pessoa. Os 34 (passageiros) com certeza (vão ficar) e os demais vai depender disso”, explica.

O G1 procurou o Ministério da Saúde sobre o caso na noite deste domingo (9) e aguarda retorno.

Hotel em Trânsito da Base Aérea de Anápolis, Goiás — Foto: Sílvio Túlio/G1

Rotina na quarentena

O que será oferecido aos repatriados na quarentena em Anápolis:

  1. 6 refeições diárias: café, colação, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia (acompanhados por nutricionistas);

  2. Videogame, brinquedoteca, jogos, biblioteca, apresentação de bandas militares;

  3. Internet, TV a cabo, frigobar, geladeira sem itens alcoólicos;

  4. Serviço religioso;

  5. Emergência odontológica;

  6. Apoio psicológico e pedagógico.

Os repatriados

Os grupo dos 34 repatriados da China é composto da seguinte forma:

  1. 4 chineses casados com brasileiros;

  2. 7 crianças com idades entre 2 e 12 anos;

  3. 23 brasileiros adultos – casais e homens e mulheres solteiros (sendo três diplomatas).

A tripulação das aeronaves é formada por:

  1. 14 médicos;

  2. 8 tripulantes;

  3. 2 jornalistas.

Seis estrangeiros tiveram autorização do governo federal para embarcar nos aviões. No entanto, um indiano não viajou por problemas no passaporte. Os demais desembarcaram na Polônia:

  1. 4 poloneses;

  2. 1 chinês.

Surto

Desde o início do surto, no início do ano, a China registrou 812 mortes por coronavírus e 37.251 casos confirmados. No Brasil, são oito casos suspeitos do novo coronavírus e nenhuma confirmação, de acordo com o Ministério da Saúde. Os dados são do balanço divulgado às 13h30 de sábado (8). Segundo o governo federal, já foram descartadas 28 suspeitas desde o começo do monitoramento.

Fonte: G1

#china #repatriados #secreções #secretariadesaúde

4 visualizações

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram