top of page

Saiba quais são os tipos de acne e os principais tratamentos



Para alguns basta o uso de sabonetes específicos para o rosto, enquanto outros precisam de outras medidas para manter a oleosidade da pele sob controle. Para quem tem acne, é necessário reforçar ainda mais os cuidados com a pele para evitar cicatrizes a longo prazo.


Entre as causas da acne estão a ação hormonal, o uso de medicamentos e cosméticos, e o tipo de alimento ingerido. O tratamento varia conforme o caso e deve ser prescrito por um dermatologista. Abaixo, saiba mais sobre tipos de acne e tratamento: O que é a acne? De acordo com Giovanna Mori Almeida, dermatologista do Hospital Albert Sabin, em São Paulo, a acne em adultos é caracterizada por:

  • pápulas (lesões sólidas); e

  • pústulas menores ("bolinhas" com pus), menos dolorosas e em menor número.

Surgem em surtos e com comedões pequenos [popularmente conhecidos como cravos]. A distribuição das lesões coincide com a pele seborreica. Nas mulheres, é mais comum na região submandibular (lateral do terço inferior do rosto e queixo) e são exacerbadas no período pré-menstrual — Giovanna Mori Almeida, dermatologista Veja abaixo em detalhes quais são os tipos e os tratamentos mais comuns. Classificação da acne por gravidade Essa condição da pele é classificada de 1 a 5 conforme o tipo e gravidade das lesões, classificadas em cinco graus. São eles:

  • Grau 1: comedogênica (não inflamatória)

  • Grau 2: papulopustulosa (inflamatória)

  • Grau 3: nódulocística (inflamatória)

  • Grau 4: conglobata (inflamatória)

  • Grau 5: fulminante (inflamatória)

Grau 1: Caracterizado pela presença de comedões (cravos) e de algumas pápulas (lesões sólidas arredondadas, endurecidas e avermelhadas).

Grau 2: Presença de comedões, pápulas eritematosas e pústulas (lesões com pus).

Grau 3: Presença de comedões, pápulas, pústulas, seborreia, nódulos (lesões inflamadas, que se expandem por camadas mais profundas da pele podendo levar à destruição de tecidos, causando cicatrizes) e cistos (maiores que as pústulas, inflamados, expandem-se por camadas mais profundas da pele, podem ser muito dolorosos e deixar cicatrizes).

Grau 4: Forma grave de acne com nódulos purulentos, que são numerosos e grandes, formando abscessos e fístulas que drenam pus.

Grau 5: Dentre todos, esse é o quadro raro, quando a acne conglobata evolui subitamente com febre, dores articulares, eritema inflamatório, necrose e hemorragia em algumas lesões. A distribuição das lesões é variável, mas aparecem com mais frequência no rosto, tórax e dorso. Tipos de acne 1 - Acne depois da adolescência

Caracterizada por pápulas e pústulas menores, menos dolorosas, apresentando-se em surtos. Mais comum nas mulheres, onde as lesões apresentam piora no período pré-menstrual. Ocorre devido uma resposta excessiva das glândulas sebácea ao estímulo androgênico.

2 - Acne androgênica

Quando o quadro de acne ocorre devido a produção excessiva de hormônios androgênios por ovários policísticos ou outra alteração endócrina. O diagnóstico só poderá ser dado após dosagens hormonais e pelo estudo ovariano via usg.

3 - Acne medicamentosa

Chamada de erupção acneiforme, manifesta-se com uso de diversos medicamentos. O quadro é caracterizado pelo surgimento abrupto de lesões como pápulas e algumas pústulas.

Medicamentos frequentemente envolvidos: corticosteróides, fenitoína, lítio, Iodetos e brometos, vitaminas (principalmente as do complexo B), suplementos alimentares e anabolizantes esteroidais, como danazol, testosterona e estrol.

Na maioria das vezes, a suspensão da medicação é suficiente para regressão do quadro. Porém, às vezes, o tratamento medicamentoso é necessário. Tratamentos contra a acne

  • A base de todos os tratamentos é a higienização das áreas afetadas com um sabonete que possua ativos para controlar a oleosidade

  • Em geral, também são prescritos ácido em gel. Os mais usados para tratar a acne são o retinóico, azelaico e peróxido de benzoíla.

  • Quando se trata de acne papulopustulosa, o tratamento de uso tópico (produtos para passar na pele) é associado ao uso de um antibiótico, também de uso tópico. Se não houver melhora do caso, o remédio passar a ser administrado por via oral

Atenção: consulte o seu dermatologista para saber qual é o tratamento mais indicado. Cada caso é individual e o uso de produtos incompatíveis pode piorar o quadro, além de gerar cicatrizes.

  • Em último caso, é prescrito um tratamento com isotretinoína, medicação que atua na glândula sebácea, diminuindo e normalizando a produção de sebo e a queratinização folicular alterada

  • Para as acnes nodulocisticas, conglobatas e fulminantes, o tratamento é feito diretamente com a isotretinoína, além da higienização adequada e uso reforçado do protetor solar

Fonte: G1

6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page