top of page

Retinol? Esqualano? Anúncios de cosméticos adotam termos que podem confundir na hora do skincare



Retinol-like, gaba, esqualano, oxyresveratrol, ácido poliglutâmico... Quem compra cosméticos pela internet tem cada vez mais se deparado com termos extremamente técnicos nos anúncios dos produtos.


Em vez de focar nas funções que cremes, séruns e géis desempenham (como hidratação e rejuvenescimento), os anunciantes têm dado mais destaque para os princípios ativos em suas propagandas.

O consumidor, invariavelmente, se vê perdido nessa sopa de letras enigmática. Mas, afinal, o que isso tudo quer dizer?

Para te ajudar a entender, não desperdiçar dinheiro e calibrar suas expectativas, o g1 entrevistou profissionais da área para esclarecer o que é cada um deles e quais resultados podem entregar. E lembre-se: antes de se aventurar na compra dos produtos, consulte sempre um dermatologista, que irá analisar o seu tipo de pele e recomendar os itens certos. 🌟Abaixo, veja ativos que têm aparecido cada vez mais no mundo do skincare e suas funções: Clareamento de manchas ➡️ Alfa-arbutin (ou só arbutin): é um ativo usado como clareador. Ele é um derivado da hidroquinona muito usado para tratar melasma.

➡️ Niacinamida: o novo amorzinho dos fãs de skincare. Ela é uma vitamina do complexo B com um potencial imenso de clareamento de manchas e de uniformização do tom da pele. O produto também tem uma ação antioxidante, ajuda no controle da oleosidade. É muito comum associar a niacinamida em quadros de acnes e oleosidade. Ela também foi descrita como agente antipoluição, não é irritativa, não provoca fotossensibilidade e pode ser usada de dia e de noite.

— Marcelle Nogueira, dermatologista PhD em envelhecimento e pesquisadora do departamento de Dermatologia da USP Hidratação ➡️ Ácido Hialurônico: é uma molécula produzida pelo corpo, encontrada na pele, ossos, cartilagens. A principal função é a hidratação da pele.

➡️ Ácido Poliglutâmico: esse ativo representa uma alternativa ao ácido hialurônico. Feito a partir de fermentação de bactérias, ele retém a umidade natural da pele e retarda o envelhecimento. "Pele desidratada produz menos colágeno. Por isso, ácido hialurônico e correlatos se fazem necessários e surgem mais alternativas no mercado", afirma Joyce. ➡️ Alfa-bisabolol: derivado da camomila, o alfa-bisabolol tem ação calmante. Também é comum encontrá-lo em cremes hidratantes desenvolvidos para peles com rosácea (doença inflamatória crônica da pele), acne inflamada ou dermatite atópica (irritação na pele). ➡️ Bakuchiol: o bakuchiol é uma planta cultivada na China e na Índia. Esse ativo é comumente recomendado para peles secas graças ao seu alto potencial de hidratação. É chamado de "retinol-like", porque tem uma ação semelhante a esse grupo dos retinóides, estimulando o colágeno e reduzindo manchas. É uma opção mais segura para quem tem mais sensibilidade e deseja incluir o ativo (retinol) na rotina de skincare.

➡️ Esqualano: a principal função do esqualano é a hidratação, principalmente para peles ressecadas e agredidas. Ele também é bem-vindo para áreas do corpo que necessitam de hidratação intensa, como joelhos e cotovelos.

De acordo com Joyce Rodrigues, ele forma uma película que impede a desidratação tanto do cabelo quanto da pele, ajudando na produção de ceramidas (moléculas de gordura presentes na pele essenciais para reter a hidratação). Renovação da pele ➡️ Gluconolactona: essa substância promove uma leve esfoliação. É bom para uma pele mais sensível, pode ser usado por praticamente todos os tipos de peles. — Maria Eduarda Pires, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) Segundo ela, a glucolactona é menos intensa e não provoca reações em peles sensibilizadas. "É muito usada em tônico e sabonetes antes de procedimentos."

➡️ AHAs e BHAs: essas nomenclaturas são as abreviações de duas categorias de substâncias diferentes: os alfa-hidroxiácidos e beta-hidroxiácidos.

  • Os "alfa" são produzidos a partir de ingredientes naturais, promovendo a renovação da pele de maneira menos agressiva. São indicados para peles mais delicadas e para uso durante o verão. Dois exemplos populares são os ácidos glicólico e mandélico.

  • Já a categoria "beta" é composta por um só integrante, que é muito popular: o ácido salicílico. Esse item é comum nas rotinas de cuidado para peles oleosas e acneicas por agir regulando a diminuir a produção de sebo.

Antioxidante ➡️ Vitamina C: também presente em frutas ácidas como limão e laranja, a vitamina C é um poderoso antioxidante (que tem a capacidade de proteger as células) e diminui a produção de ácido nítrico e radicais livres, os principais responsáveis pelo envelhecimento da pele.

➡️ Vitamina E: a vitamina E é um antioxidante. Victor Infante, doutor em ciências farmacêuticas com ênfase em cosméticos pela Universidade de São Paulo (USP) explica que ela auxilia tanto na atividade antioxidante quanto na estabilização de outras moléculas, como a própria vitamina C ou derivados. Por isso, é bastante comum vê-la associada a outros ativos.

➡️ Resveratrol: derivado da uva, o resveratrol possui tanino, substância antioxidante. Isso significa que, na prática, promove a renovação das células, combatendo o envelhecimento precoce. 💆🏻‍♀️ Otimização da rotina de skincare Muitos desses ativos acima descritos podem ser encontrados combinados num só produto, chamado de multifuncional, que entrega várias funcionalidades no mesmo veículo (sérum, creme ou gel).

Recentes análises de inteligência de mercado da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) apontam uma mudança de tendência no setor. A rotina de skincare inspirada no estilo coreano, que virou febre com várias etapas e muitos produtos, tem dado lugar cada vez mais a itens multifuncionais. Os motivos? A praticidade, a otimização de tempo e o custo-benefício. O conceito permite simplificar a rotina de cuidados com a pele. As pessoas têm buscado cosméticos com vários ativos e funções. Por exemplo, na hora de escolher um produto para acne, vão atrás da niacinamida com salicílico. Para envelhecimento, o retinol-like e o ácido hialurônico. — Joyce Rodrigues, farmacêutica especialista em cosmetologia

🔬 Mas o que são produtos multifuncionais? Quando encontramos na prateleira da farmácia um cosmético que reúne, por exemplo, niacinamida e ácido hialurônico, ele já é multifuncional por ter ativos que vão promover diferentes funções na pele.

  • 'Skincare universal': 3 passos fundamentais para todos os tipos de pele

  • Rolinho de jade relaxa, mas 'toque da pedra' não tem comprovação

♻️ Outra tendência no mercado de skincare é o upcycling, como o reaproveitamento de materiais na fabricação das embalagens a fim de evitar o desperdício. "As pessoas querem saber das embalagens, se é reciclável, se é biodegradável. O consumidor, principalmente os mais novos (de até 25 anos), tem mais informações para fazer essas escolhas: se testa em animais, se o produto é vegano", explica Joyce Rodrigues. E o mercado de skincare tem crescido no país. Dados da ABIHPEC apontam que o setor de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos cresceu 13,2% em 2022. Só o segmento de cosméticos teve uma alta de 16%, atrás de perfumaria, que aumentou 21% em relação ao mesmo período do ano anterior. Fonte: G1

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page