Reduzir consumo de bebidas com açúcar, inclusive de sucos naturais, diminui risco de diabetes tipo 2

Aumentar o consumo de bebidas adoçadas – seja com açúcar refinado ou apenas com o açúcar natural dos sucos de frutas – também aumenta moderadamente o risco de diabetes tipo 2, enquanto substituir alguma dessas bebidas por água, café ou chá reduz este risco.

Esta pesquisa mais recente, que se soma às evidências sobre o tema, também descobriu que substituir bebidas adoçadas com açúcar por bebidas adoçadas artificialmente (diet) não parece diminuir o risco de diabetes.

Ao mapear dados de 22 a 26 anos de quase 200.000 participantes em três estudos prospectivos de coorte, o trabalho representa uma primeira análise sobre se as mudanças de longo prazo no consumo de refrigerante, refrigerante diet, suco de frutas e outras bebidas estão relacionadas com o risco de diabetes tipo 2, disseram os pesquisadores, liderados pelo Dr. Jean-Philippe Drouin-Chartier, Ph.D., do Departamento de Nutrição da Harvard T.H. Chan School of Public Health, nos Estados Unidos.

Os resultados foram publicados on-line em 03 de outubro no periódico Diabetes Care.

“A concordância de nossas observações com estudos anteriores ressalta ainda mais a importância de restringir o consumo de bebidas adoçadas com açúcar e substitui-las por alternativas saudáveis”, escreveram Dr. Jean-Philippe e colaboradores.

A relação entre o consumo de suco natural da fruta e o aumento do risco de diabetes é notável, afirmaram os pesquisadores, uma vez que essas bebidas são consideradas alternativas saudáveis aos refrigerantes adoçados com açúcar.

“Nosso estudo, junto com os anteriores, sugere que a relação entre o consumo de suco da fruta e o risco de diabetes tem mais semelhanças com a associação entre o consumo de bebida adoçada com açúcar e o diabetes, em contraste com a associação inversa entre consumo de frutas inteiras e diabetes”, afirmaram os autores.

Mudanças no padrão de consumo de diferentes bebidas e risco de diabetes

A pesquisa incluiu dados agrupados de 76.531 mulheres no Nurses’ Health Study (1986 a 2012), 81.597 mulheres no Nurses’ Health Study II (1991 a 2013) e 34.224 homens no Health Professionals’ Follow-up Study (1986 a 2012). Todos os participantes preencheram questionários de frequência alimentar a cada quatro anos, incluindo o consumo de bebidas como porções de 236 ml ao dia.

Ao longo de mais de 2.783.210 pessoa-anos de acompanhamento, foram registrados 11.906 casos de diabetes tipo 2 nas três populações.

Após o ajuste para vários fatores, incluindo idade ao início do estudo, raça, história familiar de diabetes, status de menopausa, uso de hormônios, nível de atividade física, índice de massa corporal (IMC) e consumo inicial de bebidas, os participantes que diminuíram o consumo total de bebidas adoçadas com açúcar – inclusive de suco da fruta – mais de 0,5 porção por dia tiveram um risco semelhante de diabetes nos quatro anos subsequentes ao daqueles que não mudaram seus hábitos.

Por outro lado, o aumento da ingestão total de bebidas adoçadas com açúcar em mais de 0,5 porção ao dia foi associado a um risco de diabetes tipo 2 16% maior em comparação com a não alteração do consumo.

Aumentar meia porção apenas de bebidas adoçadas com açúcar resultou em risco 9% maior, enquanto aumentar o consumo de suco da fruta resultou em risco 15% maior. Ambos os achados foram estatisticamente significativos.

Reduzir o consumo de bebidas adoçadas artificialmente não mudou o risco de diabetes em comparação com consumo estável. Aumentar o consumo de bebidas adoçadas artificialmente > 0,5 porção ao dia resultou em risco 18% maior nos quatro anos subsequentes.

Mas esse último aumento pode ser devido a causalidade reversa (pessoas que sabem que estão sob maior risco podem escolher bebidas diet em vez de bebidas adoçadas com açúcar) e viés de vigilância (indivíduos com alto risco tendem a ser rastreados para diabetes e, portanto, diagnosticados mais rapidamente), observaram os autores.

Nas análises de sensibilidade, os resultados não mudaram após outros ajustes para alterações concomitantes na ingestão calórica ou no peso corporal.

Substitua bebidas adoçadas com açúcar por chá, café, água ou leite

A mudança de peso explicou 27,9% da tendência entre as mudanças no consumo total de bebidas adoçadas com açúcar e o risco de diabetes, afirmaram os autores.

Com base nos dados, eles estimaram que substituir uma porção diária de bebida adoçada com açúcar pela mesma quantidade de bebida adoçada artificialmente não esteve associado a risco de diabetes nos quatro anos subsequentes.

No entanto, substituir uma bebida adoçada com açúcar por água, café, chá ou leite magro (com 0% a 2% de gordura) foi associado a um risco de diabetes de 2% a 10% menor.

“Os resultados do estudo estão de acordo com as recomendações atuais para substituir bebidas adoçadas com açúcar por bebidas não calóricas sem adoçantes artificiais”, disse o autor sênior, Dr. Frank Hu, Ph.D., médico e Fredrick J. Stare professor de nutrição e epidemiologia na Harvard T.H. Chan School of Public Health.

“Embora os sucos de frutas contenham alguns nutrientes, o consumo deve ser moderado”, disse Fredrick em um comunicado de sua instituição.

Fonte: Medscape

#açúcar #bebidas #diabetes

2 visualizações

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Facebook
  • Instagram