Rede Sarah diz não poder ajudar no combate à covid-19 no DF



A Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação se negou a auxiliar a Secretaria de Saúde do Distrito Federal no combate à covid-19 na capital. Em ofício enviado à pasta, a rede afirmou não ter condições de receber pacientes infectados pela doença.


A justificativa é que a maioria dos pacientes atendidos pertence aos grupos de risco, “como idosos, pessoas com lesões neurológicas graves, imunodepressão, paraplegia, tetraplegia ou com outros quadros de deficiência, além de outras comorbidades associadas”. A Rede Sarah possui dois hospitais no Distrito Federal.


A Rede Sarah reiterou ainda que estas pessoas não podem ter os tratamentos suspensos e que está havendo uma “demanda adicional significativa” de pacientes que sobreviveram à covid e ficaram com sequelas. “O processo de reabilitação envolve avalição global interdisciplinar e adoção de intervenções multifacetárias.”

"Nossas infraestruturas de espaço, equipamentos e recursos humanos são todas voltadas para reabilitação, não sendo adequadas para receber pacientes para internação especializada em COVID-19." Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação

Em contato com o Jornal de Brasília, a Secretaria de Saúde confirmou que procurou a Rede Sarah, “que informou não dispor de infraestrutura e equipamentos adequados para receber pacientes para internação especializada em Covid-19”.


A Rede Sarah também foi procurada pela reportagem e, horas depois, emitiu nota. Leia na íntegra:


A Rede Sarah esclarece que não tem medido esforços para auxiliar no enfrentamento da COVID- 19. Tem recebido um grande número de pacientes para recuperação de sequelas motoras e cognitivas e, com isto, liberando leitos em hospitais gerais. Tem contribuído, na medida de suas possibilidades, atendendo às diferentes solicitações das secretarias de saúde estaduais e municipais de todas as unidades da federação em que a Rede tem unidade hospitalar.

Taxa de ocupação e fila


A taxa de ocupação dos leitos de UTI para adultos com Covid-19 no DF está em 98,69% na rede pública de saúde, de acordo com a última atualização da Secretaria de Saúde, feita às 6h10. Dos 409 leitos, 368 estão ocupados, 21 aguardam liberação, 9 estão bloqueados e apenas 11 estão vagos. Dos leitos disponíveis, somente 4 unidades são para pacientes adultos.


A situação na rede privada de saúde é um pouco melhor, mais também preocupa. A taxa de ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 adulta está em 91,73% nos hospitais particulares do DF. Dos 426 leitos totais, 389 estão ocupados e 36 estão vagos. Das vagas disponíveis, 35 são para pacientes adultos.


Até a última atualização desta reportagem, 400 pessoas aguardavam na fila de espera por um leito de UTI no DF.


Fonte: Jornal de Brasília

4 visualizações0 comentário

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram