Profissional de saúde diz que ‘nasceu de novo’ após contrair coronavírus

Uma auxiliar de enfermagem de Praia Grande, no litoral de São Paulo, considera ter ‘renascido’ no dia em que recebeu a notícia de que havia se recuperado do novo coronavírus. Ao G1, a profissional de saúde Tatiana da Silva Oliveira, de 37 anos, conta que chegou a ter 50% dos pulmões comprometidos após contrair a doença.

Segundo Tatiana, por trabalhar em hospital, não há como ter certeza de como contraiu a doença, no entanto, ela acredita ter tido contato com o coronavírus após atender uma paciente que precisou de entubação no último dia 27 de março. Além dela, uma outra auxiliar e um médico da unidade também foram hospitalizados após o procedimento.

Poucos dias depois, a auxiliar começou a sentir os sintomas que levantaram a suspeita. “Tudo leva a crer que foi nessa intercorrência durante o serviço. Quatro dias depois tive alguns leves sintomas, como ardência na garganta e secura na boca e nas vias aéreas. Foi quando eu procurei pela primeira vez o atendimento médico”.

Após o atendimento, Tatiana chegou a ser afastada por três dias do trabalho. Porém, dois dias depois, já no dia 2 de abril, os sintomas pioraram e a auxiliar passou a ter dores de cabeça e no corpo e diarreia, além da perda do olfato. Ela chegou a procurar atendimento em Unidades de Pronto Atendimento de Santos e Praia Grande, mas foi medicada e liberada.

Já no dia 8 de abril, a auxiliar precisou ser encaminhada à UPA Samambaia, em Praia Grande, após não conseguir ingerir alimentos sólidos, e acabou sendo internada e transferida ao Hospital Irmã Dulce. No dia seguinte, uma nova piora fez com que Tatiane fosse internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

“Fiz uma tomografia em que foi confirmado que eu tinha um comprometimento em algumas áreas do pulmão. Tive que fazer uso de antibiótico para restabelecer e, provavelmente, nesse período deve ter regenerado. Mas a médica que me acompanhou disse que o comprometimento chegou a 50%”, conta Tatiana.

Auxiliar de enfermagem foi internada em UTI em Praia Grande, SP, após contrair coronavírus — Foto: Arquivo Pessoal

Recuperação

Após passar quatro dias na UTI, Tatiana respondeu ao tratamento e foi transferida de volta ao quarto do hospital, onde passou o restante da internação. Já na última terça-feira (14), a auxiliar teve a confirmação. Com o retorno dos testes, os médicos constataram o diagnóstico positivo para coronavírus na paciente.

Na quarta-feira (15), a auxiliar refez exames e, no dia seguinte, teve a notícia de que havia se restabelecido e teve alta médica, podendo retornar para casa.

“O pior momento foi quando eu estava internada e tive a crise da falta de ar. É uma doença muito rápida, porque 15 dias antes eu estava bem, trabalhando, e depois não conseguia levantar da cama para ir ao banheiro. Considero que o dia da minha alta como meu novo aniversário, tive muita sorte”, afirma.

Isolada em casa, Tatiana conta com a ajuda do marido e das filhas no final da recuperação. “Depois de quase um mês doente, acabo a quarentena na próxima terça-feira (22) e devo voltar ao trabalho do dia 27. Uma das piores coisas é ficar longe de quem a gente ama”.

“As pessoas não estão levando a sério a gravidade do problema. Não desejo essa doença pra ninguém, é muita dor e sofrimento físico e mental”, finaliza.

Tatiana faz transmissão ao vivo com familiares durante isolamento após contrair a Covid-19 — Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: G1

#coronavirus #profissionaisdesaúde #renascer

2 visualizações

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Facebook
  • Instagram