Pandemia de Covid-19 causa crise de saúde mental nas Américas, diz OMS



A pandemia de Covid-19 está causando uma crise de saúde mental nas Américas devido ao estresse maior e ao uso de drogas e álcool durante os seis meses de medidas de isolamento e confinamento domiciliar, disse a diretora regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta terça-feira (18).


A pandemia também provoca o problema relacionado do aumento da violência doméstica contra mulheres, disse Carissa Etienne em uma entrevista coletiva virtual realizada pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) em Washington.

"A pandemia de Covid-19 causou uma crise de saúde mental em nossa região em uma escala que nunca vimos antes", disse. "É urgente que o apoio de saúde mental seja considerado um componente crítico da reação à pandemia".

Etienne pediu que os governos ampliem os serviços de saúde mental e priorizem a saúde mental como parte de sua reação à pandemia.

Muitas pessoas estão estressadas pelo medo de desenvolver a doença grave causada pelo novo coronavírus, enquanto médicos, enfermeiros e profissionais de saúde estão trabalhando mais horas do que nunca e arriscando as vidas nos hospitais, disse ela. Etienne também disse que é preciso dar atenção ao aumento dos episódios de violência doméstica. "As medidas de confinamento domiciliar em vigor, somadas aos impactos sociais e econômicos deste vírus, estão aumentando os riscos de violência doméstica – o lar não é um local seguro para muitos", disse. Os serviços de assistência por telefone cresceram na Argentina, Colômbia e México, mas a verdadeira abrangência da violência doméstica durante a pandemia de Covid-19 provavelmente está sendo subestimada, já que as sobreviventes estão isoladas em casa e os serviços assistenciais não estão funcionando, alertou Etienne.

"Com o contato com amigos e familiares reduzido ou barreiras no acesso a serviços e abrigos, estamos deixando as sobreviventes sem ter para onde ir", disse. OMS diz que população global não chegou nem perto dos níveis de imunidade necessários Os casos de coronavírus nas Américas chegam a quase 11,5 milhões, e mais de 400 mil pessoas já morreram devido à pandemia, segundo a diretora regional da OMS.

A região continua a suportar o fardo mais pesado da doença, já que acumula 64% das mortes globais relatadas oficialmente, apesar de ter 13% da população mundial. Os maiores impulsionadores do número de casos são Estados Unidos e Brasil, disse.

Mas há cada vez mais casos no Caribe, e infecções novas estão em alta no Peru, República Dominicana, Jamaica, Bahamas e Trinidade e Tobago.


Fonte: G1

4 visualizações0 comentário