top of page

OMS demite principal investigador das origens da Covid-19 por má conduta sexual



A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta quarta-feira (03) que demitiu um cientista sênior por causa de má conduta sexual. O dinamarquês Peter Ben Embarek ficou conhecido por seu papel como chefe de uma missão internacional na China para investigar as origens do Covid-19.


A agência da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou que Embarek foi afastado de seu cargo no ano passado. Em resposta à Reuters, ele disse que contesta a acusação de assédio e a sanção sofrida. Ele poderá recorrer contra sua demissão no sistema interno da ONU. "Peter Ben Embarek foi demitido no ano passado após descobertas de má conduta sexual contra ele que foram substanciadas por investigações e pelo processo disciplinar correspondente", disse a porta-voz da OMS, Marcia Poole. Poole disse que os casos que levaram à demissão ocorreram em 2015 e 2017 e que a agência foi informada sobre eles pela primeira vez em 2018. Não foram dados mais detalhes sobre as alegações de má conduta.

Embarak afirmou que um único incidente em 2017 "foi resolvido imediatamente de forma amigável" e que não poderia fazer mais comentários pois o processo corre em sigilo até que seja solucionado.

"Não estou ciente de nenhuma outra reclamação e nenhuma outra reclamação foi trazida ao meu conhecimento. Eu contesto devidamente a classificação de assédio e estou bastante esperançoso na defesa dos meus direitos", disse Embarek por meio de uma mensagem digital. Ben Embarek é o funcionário mais graduado da OMS conhecido por ter sido demitido desde que a agência da ONU lançou uma série de iniciativas para melhorar a resposta frente alegações de má conduta sexual.

Ele foi o principal representante da OMS em uma viagem à China em 2021 com o objetivo de investigar de onde veio o Covid-19. A equipe chegou às manchetes globais com a conclusão de que os morcegos eram os hospedeiros iniciais mais prováveis, levando a uma pandemia em humanos. Eles também determinaram que um vazamento do vírus de um laboratório na China era "altamente improvável", apesar dos apelos de vários cientistas para investigar essa possibilidade. Ben Embarek disse posteriormente que houve alguma pressão política sobre a equipe, inclusive de fora da China, mas que nada no relatório foi alterado como resultado. Ele não identificou a fonte de tal pressão. Anteriormente, ele também liderou a iniciativa "One Health" sobre doenças que passam de animais para humanos.


Fonte: G1

3 visualizações0 comentário

댓글


bottom of page