OMS decide manter classificação da Covid como pandemia



O comitê de especialistas reunido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para avaliar o cenário da pandemia decidiu que ainda não é a hora de rebaixar a classificação da Covid, segundo eles a situação sanitária continua sendo uma emergência de saúde pública mundial.


Embora os novos casos e óbitos provocados pelo coronavírus estejam caindo em todo o mundo, os especialistas consideram que a pandemia provocada pela doença continua a afetar negativamente a saúde das populações em todo o mundo, ainda há um risco contínuo de disseminação internacional e, por isso, existe a necessidade de uma resposta coordenada entre os países.

“Infelizmente a realidade se impõe. A constatação é que a situação está longe de estar finda. A circulação do coronavírus ainda está alta, com mortalidade e mutação do vírus”, disse o professor Didier Houssin, presidente do comitê reunido pela OMS. A decisão foi tomada na segunda-feira (11/4) pelo comitê composto por 37 autoridades em saúde pública do mundo e anunciada nesta quarta (13/4) em coletiva de imprensa.

Houssin afirmou que este ainda não é momento de enfraquecer a vigilância sanitária, diminuir o ritmo das campanhas de vacinação ou baixar a guarda em relação proteção. “A recomendação do comitê é a de que não é hora de baixar a guarda. É uma recomendação extremamente forte”, disse.


O comitê trabalha para definir critérios mais rigorosos que possam garantir o fim do estado de urgência de saúde pública com segurança. Segundo Houssin, devem ser levados em consideração os critérios epidemiológicos, de reações nos locais onde a circulação ocorre, de assistência internacional, e troca internacional.


Cenário otimista


Na última semana, o mundo registrou 20.927 óbitos provocados pela Covid-19, segundo dados da OMS. O menor número de mortes pela doença desde o início da pandemia, segundo destacou o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, na coletiva de imprensa desta quarta-feira (13/4).

“Há boas notícias. Na semana passada, o menor número de mortes por Covid-19 foi registrado desde os primeiros dias da pandemia. No entanto, alguns países ainda estão testemunhando sérios picos de casos, o que está pressionando os hospitais”, disse Tedros.

Fonte: Metrópoles

7 visualizações0 comentário