O que é herpes? Doença que causa feridas na boca foi assunto no BBB


 
 

O herpes é mais comum do que parece. Estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) dizem que quase 70% da população mundial já teve contato com o vírus, que é altamente prevalente.

A transmissão acontece por contato – saliva, mucosas, pele ou sexo – um beijo, por exemplo, pode ajudar a transmitir o vírus. E é por isso que virou assunto na casa mais vigiada do Brasil, quando Eliezer, um dos participantes do "BBB", beijou outras duas jogadoras estando com uma ferida na boca (veja montagem abaixo).

Não há informações suficientes que confirmam ou não se o machucado do participante é provocado pelo herpes, no entanto, em uma conversa dentro da casa, os jogadores chegaram a citar a doença. "Fico mais preocupada pelo fato de você estar com herpes e ela não ter ligado para isso", disse Maria a Eliezer. Apesar de ser mais conhecido pelo surgimento de pequenas feridas na boca, nem todos os infectados desenvolvem sintomas aparentes e podem passar anos com o vírus "adormecido".


Segundo o Ministério da Saúde, o contato com o vírus ocorre geralmente na infância, mas ele só é "reativado" pelos os chamados "fatores desencadeantes", que podem ser:

  • exposição à luz solar intensa;

  • fadiga física e mental;

  • estresse emocional;

  • e febre ou outras infecções que diminuam a resistência orgânica.

A doença é causada por dois vírus:

  • herpes simples vírus 1 (HSV-1) – transmitido principal por contato oral

  • herpes simples vírus 2 (HSV-2) – principal responsável pelo quadro de herpes genital, que pode causar pequenas úlceras nesta área do corpo.

A transmissão acontece por contato, seja através da saliva, mucosas, pele ou sexo. O contato direto é a maneira mais comum de se contaminar, mas objetos como copos, toalha e lâminas também podem servir de veículo para a transmissão da doença. Em seu site, a OMS lista as principais informações a respeito da herpes. Veja algumas abaixo:

  • No mundo todo, cerca de 3,7 bilhões de pessoas com menos de 50 anos (67%) tem o HSV-1.

  • Cerca de 491 milhões de pessoas com idade entre 15 e 49 anos (13% tem o HSV-2).

  • A maioria dos casos de infecções orais e genitais por herpes são assintomáticos.

  • As infecções são mais contagiosas quando há sintomas, mas a herpes também pode ser transmitida por pessoas assintomáticas.

  • A infecção por HSV-2 aumenta o risco de contaminação e transmissão de HIV.

Quais são os sintomas de herpes? A OMS listou os sintomas da infecção pelo herpes do tipo 1:

  • bolhas dolorosas ou úlceras dentro e ao redor da boca;

  • coceira ou queimação nos lábios antes do aparecimento de pequenas bolhas;

  • e vemelhidão nos lábios.

Tem tratamento? A infecção pelo herpes tem tratamento, mas não há cura. Algumas boas práticas podem evitar o aparecimento das feridas, como o uso protetor solar, se alimentar e dormir bem, e não ficar cutucando a boca.

Caso nada disso funcione, o uso de medicamentos antivirais pode ser recomendado pelos médicos. Segundo a OMS, as substâncias aciclovir, fanciclovir e valaciclovir são as mais eficazes disponíveis.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, durante um surto de herpes, o paciente infectado não deve furar as vesículas, e também tem que evitar beijar e falar próximo de outras pessoas.

Além disso, caso a doença se manifeste na região genital, deve evitar ter relações sexuais. A higiene das mãos também é importante após tocar as feridas e o compartilhamento de itens pessoais deve ser evitado.


Fonte: G1

35 visualizações0 comentário