Nem uma taça? Médico alerta sobre riscos de consumir bebida alcoólica na gravidez


 
 

Álcool e gravidez são duas coisas que, definitivamente, não combinam. Mesmo assim, para algumas mulheres, beber é um hábito difícil de abrir mão. Uma nova pesquisa publicada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos mostrou que 19,6% das mulheres admitem consumir bebidas alcoólicas no primeiro trimestre da gestação.


Segundo o obstetra Renato Ajeje, da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), o consumo de álcool pode afetar o desenvolvimento do bebê, além de aumentar as chances de quedas e acidentes para as grávidas.


“Em geral, as bebidas alcoólicas são bastante calóricas. Isso faz com que a mãe coma menos e tenha a nutrição prejudicada. A placenta envelhece mais rápido, o bebê cresce menos e pode até acontecer um parto prematuro”, explica.


É exatamente por isso que a recomendação dos médicos é de cortar o álcool de vez nessa fase. Mas se você tomou uma ou duas taças de vinho antes de descobrir que estava grávida, não se culpe: o importante é parar o quanto antes, e procurar um especialista para fazer o acompanhamento pré-natal.


Fonte: Revista Crescer

6 visualizações0 comentário