Número de crianças com Covid-19 internadas na cidade de SP dobra em um mês



O número de crianças internadas com Covid-19 dobrou na cidade de São Paulo. Foram 25 as internações na faixa etária de 0 a 14 anos em outubro.


Já em novembro, o número subiu para 50, considerando tanto a rede pública quanto a particular da capital. Segundo a Prefeitura de São Paulo, o crescimento "acompanha o aumento no número total de casos na cidade". A alta também atinge os hospitais da rede municipal. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) foram 8 internações infantis por Covid-19 na rede municipal em outubro, número que aumentou para 10 em novembro. A prefeitura destaca que, no banco de dados usado para a contagem, não existe campo específico de data de diagnóstico. Sendo assim, é utilizada a data da notificação para os dados dos meses de outubro e novembro.

Ainda segundo o banco de dados do SIVEP-Gripe, não há óbitos confirmados para Covid-19 em indivíduos de 0 a 14 anos com início de sintomas nos meses de outubro e novembro na cidade de São Paulo. Crianças e adolescentes têm menos risco de desenvolver sintomas graves de Covid-19, de acordo com pesquisa publicada na revista científica "British Medical Journal".

A Organização Mundial da Saúde também confirma que a maioria das crianças e dos adolescentes infectados tende a ter sintomas mais brandos do coronavírus. No entanto, não se pode dizer, universalmente, que para eles a doença é leve.

A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que crianças acima dos 2 anos de idade usem máscaras sempre que possível para evitar a transmissão da doença. Ocupação de hospitais em SP O estado de São Paulo voltou nesta terça-feira (15) a ter um número de pacientes internados por Covid-19 acima de 11 mil, considerando toda a rede pública e particular de saúde. A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no estado também voltou a ficar acima de 60%, o que não acontecia desde 5 de agosto. Segundo levantamento da TV Globo, vários hospitais públicos estaduais da capital paulista e da Grande São Paulo estão com lotação máxima dos leitos de UTI ou com ocupação perto de 100%. Entre os hospitais estaduais em situação crítica para atendimento de pacientes com Covid-19, estão:

  • Hospital Geral de Guaianases (Zona Leste) – 100% de ocupação;

  • Hospital de Sapopemba (Zona Leste) – 100% de ocupação;

  • Complexo Hospitalar Padre Bento (Guarulhos) – 94,4% de ocupação;

  • Hospital Geral de Itapevi (Grande SP) – 87,5% de ocupação;

  • Complexo Hospitalar do Mandaqui (Zona Norte) – 80% de ocupação.

O estado vive uma nova piora da pandemia, com alta de internações, novos casos e novas mortes por coronavírus nos últimos dias.

De acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde, SP contabilizou nesta terça 11.204 pacientes internados com suspeita ou confirmação de Covid-19, sendo 6.345 em enfermaria e 4.859 em leitos de UTI.

O total de pacientes internados não ficava acima de 11 mil desde 5 setembro, quando 11.145 pessoas ocupavam leitos no estado. Entre setembro e outubro, houve uma queda nas internações, que chegaram a ficar em torno de 6 mil. Mas os números voltaram a subir, e há 15 dias seguidos o total de pacientes internados vem ficando acima de 10 mil. A ocupação de leitos de UTI também vem subindo progressivamente e chegou nesta terça a 60,2% no estado e 65,8% na Grande São Paulo. O estado não registrava taxa de UTI acima de 60% desde 5 de agosto. Na última semana, algumas cidades da Grande São Paulo chegaram a registrar taxas acima de 80%.

Outros hospitais municipais da capital paulista também estão com os leitos para pacientes de Covid-19 próximos da lotação máxima, como o Santa Marcelina, Cruz Vermelha, Santa Casa de Santo Amaro e Hospital da Bela Vista. Nessas unidades, a ocupação passa de 80% (veja o infográfico abaixo).


Fonte: G1

4 visualizações0 comentário