Mulher que não pode fazer sexo atinge habilidade de orgasmo espontâneo



Atingir um orgasmo pode ser difícil para muitas mulheres, principalmente quando não se pode fazer sexo. Um novo relato publicado na revista Sexual Medicine, destacou o caso de uma mulher de 33 anos, que treinou para chegar ao orgasmo de forma espontânea, em minutos, devido a uma condição rara que a impede de ter relações sexuais.


Ela sofre de vaginismo, uma disfunção sexual que provoca fortes dores durante a tentativa de penetração.


Frustrada, a mulher decidiu alcançar por conta própria o ápice do prazer e praticou, por dez anos, o chamado treinamento tântrico – técnica que trabalha as posições corporais e controle respiratório.


A mulher, que não revelou a identidade, foi capaz de atingir o orgasmo sempre que queria, apenas com a mente, por até 10 minutos e sem estimulação genital.


Como parte do treinamento, a mulher aprendeu posturas corporais, técnicas de respiração e controle do corpo. Segundo ela, isso a ajudou a aprender a despertar uma sensação de energia sexual.

“Fiz exercícios pélvicos, prática de massagem nos seios e práticas para liberar a vergonha e a culpa. Além disso, aprendi a relaxar e deixar acontecer, aceitei minha imagem corporal e passei a ter mais atenção para a vida cotidiana em geral”, descreveu ela no artigo.

De acordo com a mulher, o prazer sexual não era seu objetivo inicial, mas que à medida que seus exercícios avançavam, isso se tornava mais aparente.


Pesquisadores do Department of Psychology and Life Sciences, testaram o caso e pediram que ela participasse de 10 e cinco minutos de orgasmo contínuo e, como controle, ela teve que ler um livro por dez minutos.


Em seguida, a ocorrência foi confirmada usando a Escala de Avaliação do Orgasmo (ORS) de Mah e Binik (2002).


Prolactina


Pesquisadores afirmam que ela atinge o orgasmo devido à prolactina – hormônio produzido pela glândula pituitária no cérebro – usado como um marcador que indica a qualidade do orgasmo.

Após analisar o sangue da mulher, o resultado do estudo mostrou que seus níveis de prolactina aumentaram 25% e permaneceram elevados por 30 minutos.


Em comparação, a leitura de livros não causou nenhuma alteração em seus níveis de prolactina.


Vaginismo


O vaginismo é uma inflamação nos músculos da vagina que promove contrações involuntárias sempre que a penetração é tentada. Isso pode incluir sexo tradicional ou ao usar um brinquedo sexual. Até mesmo o uso de absorvente interno ou exames ginecológicos podem causar fortes dores.


A condição pode influenciar negativamente a vida sexual de uma mulher e fazer com que ela perca a confiança na cama.


Fonte: Metrópoles

33 visualizações0 comentário