Ministério da Saúde confirma quarto caso de coronavírus no Brasil

O Ministério da Saúde voltou atrás e decidiu classificar o caso da adolescente de São Paulo infectada pelo coronavírus como caso confirmado. Com isso, o Brasil passa a ter quatro casos confirmados da doença.

Inicialmente, o Ministério havia dito que o caso da adolescente de 13 anos não era considerado como confirmado pois ela está assintomática e não preenchia a definição para Covid-19, o que incluiria febre associado a mais um sintoma respiratório, apesar da contraprova do Instituto Adolfo Lutz ter dado positiva. A mudança de classificação ocorreu após a reunião de especialistas em Brasília nesta manhã.

“Este é um dos pontos que a gente tem discutido e levantado um debate. Ela é um caso confirmado, sim, mas ela não é um caso suspeito, pois não teve no momento do atendimento nem febre, nem um sintoma respiratório”, disse o Secretário de Vigilância e Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, em entrevista à GloboNews.

Quatro elementos levaram a definição do caso como confirmado: pelo resultado do exame, pelo local provável de infecção (Itália), pela possibilidade da medicação após tratamento de uma lesão ter mascarado os sintomas e pela possibilidade de ainda ter sintomas nos próximos dias.

Foto ilustrativa mostra adesivo com resultado positivo para o novo coronavírus  — Foto: Dado Ruvic/Reuters/Arquivo

Foto ilustrativa mostra adesivo com resultado positivo para o novo coronavírus — Foto: Dado Ruvic/Reuters/Arquivo

Mais cedo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse ao G1 que considera que todos os casos assintomáticos de coronavírus devem ser classificados como confirmados. “Toda pessoa com teste positivo para Covid-19 é considerado como um caso de Covid-19”, disse em nota.

Na China, país epicentro da doença, casos assintomáticos de coronavírus também não entram na classificação de casos confirmados. Em 20 de fevereiro, a revista Nature publicou um artigo em que cientistas questionam a medida chinesa. O epidemiologista chefe do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças de Pequim, Wu Zunyou, afirmou à revista que “sempre exigiu que casos positivos não fossem contados como casos confirmados.” Segundo ele, “em vez disso, aqueles que são positivos são isolados por 14 dias e monitorados pelas autoridades de saúde. Se eles desenvolverem sintomas nesse período, serão classificados como um caso confirmado.”

A paciente de 13 anos viajou ao exterior, com passagem por Portugal e Itália, e teve uma lesão no ligamento durante a viagem, sendo medicada em um hospital italiano. Ela voltou ao Brasil neste domingo (1º) e procurou atendimento médico no Hospital Beneficência Portuguesa, na capital paulista, no dia 3 de março. Mesmo sem apresentar sintomas, os médicos coletaram amostras para teste para coronavírus que foi encaminhada ao Laboratório Fleury. O resultado do exame deu positivo.

O Secretário de Vigilância e Saúde do Ministério da Saúde disse que o caso da menina pode ser considerado atípico, pois quem solicitou o exame foi a instituição de ensino da jovem. “O que foi atípico foi a solicitação da escola, a exigência que acaba gerando mais questionamentos”, disse Oliveira.

“Se não tiver com nenhum sinal e sintoma respiratório, não tem nada para se fazer. Não é um procedimento correto ficar recomendando todo mundo para fazer testes, esses testes não vão mudar nenhum procedimento clínico”, completou o secretário.

De acordo com o Ministério da Saúde, outras análises estão sendo realizadas, que devem mostrar a carga viral da paciente e potencial de transmissão, além da supressão de sintomas por uso de medicamentos, já que ela foi atendida em hospital italiano após lesão de ligamento e histórico dos familiares que a acompanharam na viagem.

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde até a manhã desta quinta, 531 suspeitos são monitorados e outros 315 casos já foram descartados por exame laboratorial. Os números de casos monitorados e descartados deve ser atualizado durante a tarde.

Primeiros casos

Nesta quarta (4), foi confirmado o terceiro caso de coronavírus no Brasil. O homem é natural da Colômbia, tem 46 anos, é administrador de empresas, mora em São Paulo, e viajou para a Itália, Áustria, Alemanha e Espanha.

No último sábado (29), a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo e o Ministério da Saúde confirmaram o segundo caso de coronavírus no estado. Trata-se de um homem de 32 anos que reside em São Paulo e que chegou de Milão, na Itália, na quinta-feira (27).

O primeiro caso foi confirmado na quarta-feira (26). Trata-se de um homem que também reside em São Paulo e possui 61 anos. Ele retornou de Turim, no norte da Itália, na sexta-feira (21).

Funcionários do aeroporto usam máscaras para se proteger do novo coronavírus no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, nesta quinta-feira (27). — Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Funcionários do aeroporto usam máscaras para se proteger do novo coronavírus no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, nesta quinta-feira (27). — Foto: Amanda Perobelli/Reuters

Fonte: G1

#coronavirus #ministériodasaúde

1 visualização0 comentário