top of page

Milagre de Natal: casal que não podia ter filhos vai passar a data com trigêmeos e filha de 4 meses



Após anos de luta para conseguir ter filhos, Brittany e Zac Wolfe passarão o primeiro Natal como pais, cercados de bebês. A primeira filha, Charlie, chegou em julho, adotada recém-nascida. Enquanto o casal esperava pelo seu nascimento, acompanhando a gestação da mãe biológica, descobriu a adoção de embriões, fez a fertilização in vitro e conseguiu engravidar em abril. Os trigêmeos Noa, Knox e Navie, nasceram no dia 19 de outubro.


Os recém-nascidos passaram mais de 50 dias na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), na Pensilvânia, Estados Unidos, antes de serem levados para casa esta semana e se juntarem à irmã mais velha.


O casal se conheceu na faculdade, onde eram apenas amigos. Em julho de 2011, Zac teve um acidente de carro, que resultou em uma lesão na medula espinhal, que costuma causar perda permanente de força, sensibilidade e funções abaixo do local da lesão. Depois do ocorrido, ele e Brittany começaram a namorar e se casaram em 2015. Por quase uma década, o casal tentou ter filhos, mas não conseguia.


— Depois de anos tentando conceber, decidimos buscar um médico para entender se algum de nós tinha alguma questão. Ficamos nervosos, devido à minha lesão, e não sabíamos se conseguiríamos ter uma criança. Realizamos os testes e tudo estava bem — conta Zac à People.


Durante os cinco anos seguintes, o casal lutou contra a infertilidade e gastou, aproximadamente, R$ 496 mil em inseminações intrauternias e fertilização in vitro. Após tentativas frustradas, Zac e Brittany Wolfe decidiram optar pela adoção.


Dois sucessos em meses


Os Wolfes finalmente tiveram um sucesso duplo em poucos meses. No início deste ano, eles receberam uma ligação surpresa de um vizinho, que questionava se ainda queriam adotar. Quando disseram sim, foram apresentados a uma mulher grávida que considerava a adoção.


— Nos encontramos com ela, que nos perguntou se adotaríamos seu bebê. Então, acompanhamos desde, mais ou menos, a metade de sua gravidez. Eu estava com ela em seu ultrassom de 20 semanas, quando descobrimos que era uma menina. Estive lá em todas as suas consultas — conta Brittany ao GMA.


A filha adotiva do casal, Charlie Wolfe, nasceu em 27 de julho. Mas, enquanto buscavam por uma gestante que quisesse colocar o bebê para adoção, Zac e Brittany descobriram a adoção embrionária. Neste processo, um embrião congelado que sobrou de algum tratamento de fertilização in vitro pode ser doado para casais que não conseguem conceber.


— Sabíamos que ambas tentativas podiam não funcionar. É uma chance de 50-50. Então, decidimos tentar — afirma Brittany.


O casal descobriu a gravidez após a segunda transferência de embriões em abril, no Tennessee. Os embriões foram implantados com sucesso e Brittany engravidou dos trigêmeos. Segundo os médicos, as chances de seus três embriões resultarem em trigêmeos eram inferiores a 1%, devido à qualidade de cada embrião.


O casal resolveu tentar e, em abril, os embriões foram implantados com sucesso. Brittany engravidou dos trigêmeos, que nasceram em outubro.


— Quando a Charlie chegou, não estávamos tão estressados. A gravidez da Brittany correu também que não focamos no lado negativo. Tínhamos a Charlie e estávamos muito felizes com os trigêmeos — diz Zac ao Good Morning America.


Registros nas redes


Brittany e Zac levaram os bebês para casa no início de dezembro e poderão passar o Natal juntos em família. Nas redes sociais, eles registram o cotidiano e publicam vídeos da vida com quatro filhos. Além disso, o casal conta mais sobre a possibilidade da adoção embrionária.


"Parabéns! É uma família linda", diz um seguidor. "Muito feliz por vocês", comenta outro. "O que seria uma vida sem desafios... desejo o melhor para vocês. Continuem esperançosos", fala mais um.

Fonte: o Globo

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page