Merkel diz que Alemanha vive 'nova pandemia' e anuncia restrições para a Semana Santa



A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou nesta segunda-feira (22) que o país "entrou em uma nova pandemia", com a variante britânica dominando as novas infecções, ao anunciar medidas de restrição para a Semana Santa e a Páscoa.


A maior parte do comércio vai fechar e os serviços religiosos serão cancelados entre 1º a 5 de abril. Além disso, as medidas de restrição que já estão em vigor atualmente na Alemanha vão ser prorrogadas até 18 de abril. As reuniões sociais serão limitadas durante a Páscoa, e no máximo cinco adultos de duas famílias poderão se encontrar em casa ao mesmo tempo. Merkel pediu às igrejas e templos que façam apenas cultos on-line e às pessoas que fiquem em casa durante o feriado prolongado e afirmou que, na maior parte do feriado prolongado, apenas lojas de alimentos estarão abertas.

A Alemanha, assim como outros países da Europa, enfrenta uma terceira onda de casos devido à reabertura da economia e às variantes do novo coronavírus, que são mais contagiosas, e tenta adotar medidas para impedir o aumento no número de infecções pela Covid-19. "Estamos basicamente em uma nova pandemia. A mutação britânica se tornou dominante", afirmou Merkel. "Temos um novo vírus e é muito mais letal, muito mais infeccioso e contagioso por muito mais tempo". Casos em alta A chanceler alemã também alertou que "a situação é grave": "O número de casos está aumentando exponencialmente e os leitos de terapia intensiva [UTIs] estão se enchendo novamente".

O número de infecções por 100 mil habitantes atingiu 107 na segunda-feira (22), acima do limite de 100 em que se considera que as UTIs do país não serão mais capazes de lidar com o problema.

Com cerca de 83 milhões de habitantes, a Alemanha é o 9º país com mais mortes por Covid-19 no mundo (75 mil) e o 10º em número de casos confirmados (2,6 milhões).

O país registrou 28,4 mil novos casos na quinta-feira (18), o maior número diário desde 20 de janeiro, embora as mortes (cerca de 250) ainda estejam no patamar de novembro, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. Reabertura da economia adiada Muitas das medidas restrições em vigor desde o fim de 2020, como a limitação de reuniões privadas e o fechamento de espaços culturais e de lazer, mas elas vinham sendo relaxas desde o início do mês, quando partes do país começaram a reabrir.

Estabelecimentos não essenciais voltaram a funcionar e alguns alunos começaram a retornar às escolas em turnos.

A chanceler se reuniu com líderes de 16 estados da Alemanha para discutir um novo endurecimento das restrições, mas, em vez disso, concordou em pausar a reabertura planejada de bares, restaurantes, locais de lazer e cultura até 18 de abril.


Fonte: G1

2 visualizações0 comentário