“Me comovem muito!”, diz médico que já realizou 5 mil cirurgias auditivas



Ouvir a voz de quem se ama, o canto dos pássaros, o som do mar e o barulho da cidade é um privilégio que nem todas as pessoas têm. Ao menos 10,7 milhões de brasileiros convivem com alguma deficiência auditiva no país, de acordo com um estudo feito pelo Instituto Locomotiva e a Semana da Acessibilidade Surda (SAS) em 2019. Desses, 2,3 milhões são pacientes com deficiência severa.


Uma alternativa para esses casos é a reabilitação auditiva com o implante coclear, feita a partir de uma cirurgia rápida, em menos de uma hora, mas capaz de mudar a vida de uma pessoa. Como aconteceu com o preparador físico Eduardo Favaro, que perdeu a audição aos 3 anos, ao contrair meningite.


Depois de 32 anos sem escutar nada, Favaro venceu a luta contra a surdez aos 35 anos e ouviu pela primeira vez as vozes da esposa e das filhas, graças ao trabalho realizado pela equipe do médico otorrinolaringologista Fayez Bahmad Jr., em 2017.


O vídeo com o momento exato em que o implante de Eduardo é ligado e ele consegue escutar a família comoveu o Brasil e logo viralizou na internet. O registro emocionante tem mais de 317 mil visualizações apenas no Facebook do educador físico.



Em entrevista para a coluna Claudia Meireles, Fayez contou que, ao longo dos últimos 15 anos, realizou mais de 5 mil cirurgia otológicas de reabilitação auditiva no Hospital Universitário de Brasília (HUB) e no Centro de Implante Coclear do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (IBORL). Assim, ele se comove com exemplos como o de Eduardo, um caso complicado de ossificação quase completa da cóclea (estrutura do interior do ouvido), que havia sido dispensado de outros centros de implante coclear.


“Me comovem muito! Especificamente de implante coclear. Já realizei centenas dessas cirurgias e me sinto emocionado após cada uma delas”, afirma. “Trata-se da área mais encantadora da medicina, ao meu ver. Deus te dá a oportunidade de mudar totalmente as vidas das pessoas com deficiência auditiva e eu sempre soube que nossa população precisava muito disso”, garante.


“Amo muito o que faço e dediquei minha vida para poder proporcionar à população de Brasília esses resultados maravilhosos que eu vivenciei durante meu doutorado em Boston, na Massachusetts Eye & Ear Infirmary, divisão da Harvard Medical School”, completa o médico.


A reabilitação corrige a perda auditiva em crianças e adultos por meio de aparelhos auditivos ou da cirurgia de implante coclear. O procedimento cirúrgico existe há quatro décadas e vem se aperfeiçoando ao longo dos anos, com menos riscos para os pacientes. Ele é indicado para os casos de perda auditiva severa a profunda bilateral.


Como é realizada

A cirurgia consiste em colocar um dispositivo – um eletrodo muito fino e delicado, como um fio de cabelo – capaz de substituir as estruturas que não funcionam na cóclea, no interior dela. Os resultados são imediatos e vão melhorando com o passar do tempo, com horas de treinamento semanal com fonoaudiólogos.


“No passado, a cirurgia levava várias horas e era mais arriscada. Com o passar dos anos, a tecnologia melhorou muito. Com o advento de excelentes microscópios, os centros de implante coclear passaram a contar com médicos neurofisiologistas para proteção do nervo facial, e o próprio componente interno do implante coclear com o eletrodo cada vez mais delicado proporcionou esse aperfeiçoamento”, conta Fayez.


O médico explica que o aparelho auditivo complementa o tratamento da surdez de pacientes com perda auditiva neurossensorial leve a moderada e até severa, mas não substitui o implante coclear nos casos indicados.


Fonte: Metrópoles

7 visualizações0 comentário