Mamães idosas ganham festa surpresa especial em lar de Ribeirão Preto, SP



Uma festa surpresa com bolo, música, conversa e presentes marcou o sábado (7), véspera do Dia das Mães, de 27 idosas que moram no Lar dos Velhos, instituição de longa permanência em Ribeirão Preto (SP). Como nem todas têm os filhos por perto, o grupo de voluntários Boa Notícia foi quem organizou a comemoração especial.


Ao todo, o lar assiste cerca de 30 idosas, que se divertiram durante a tarde deste sábado com uma programação repleta de atividades. "[Estou achando essa festa] a coisa mais maravilhosa, emocionante, é uma festa surpresa para todos nós, ninguém esperava. Está muito alegre, muito bonita, muito movimentada", comemorou a moradora Enedina Zanella, de 88 anos. Satisfação em fazer o bem O time montou uma mesa de café da tarde para as senhoras. Em seguida, a turma fez uma apresentação musical.

Os sentimentos de alegria e gratidão predominaram durante a festa não só para as idosas, mas também para os voluntários. Segundo Renata Flores, uma das integrantes do grupo, depois que você começa a fazer trabalho voluntário, não quer mais parar. "Trazer afeto e alegria para pessoas como elas deixa nosso coração com muita paz, nossa alma fica muito leve. A satisfação de ver o sorriso no rosto delas, nos motiva a cada dia querer fazer mais. É uma coisa que sempre vamos querer participar. A palavra hoje é gratidão de ter a oportunidade de estar fazendo o que estamos fazendo", afirma Renata. As mamães também receberam presentes, que foram doados ao grupo por amigos e apoiadores. Além disso, dois dias antes da ação, os voluntários foram ao asilo e presentearam todas as moradores com corte gratuito de cabelos. Feliz Dia das Mães Bonitas e com sorrido no rosto, a emoção das lembranças também veio à tona. A bisavó Isaíra Pena, de 93 anos, não escondeu no rosto as saudades da mãe, que já é falecida. "O Dia das Mães para mim significa tudo [...] significa a vida da gente, porque ter uma mãe junto é outra coisa, porque é aí que você tem um ombro para chorar, um abraço para apertar. Você dar um abraço na sua mãe, você fica feliz. Se você não tem uma mãe, você dá um abraço em uma amiga, como eu dei hoje", diz. Por fim, o projeto ‘Chorinho’ encerrou a ação com mais música e a dona Enedina deixou um recado de felicitações para todas as mães, independentemente da situação.

"Parabéns para todas as mamães do mundo todo, para as mamães falecidas, para as mães presidiárias, para as hospitalizadas, para todas elas, todas elas precisam de uma lembrança, de um carinho." Longe da família Segundo o diretor do lar, Bruno Toledo, o carinho dos voluntários teve um impacto muito grande no lado emocional das idosas, já que muitas não recebem visitas das famílias e, durante a pandemia, o cenário piorou.

"A maior parte das famílias é ausente, mas tem as exceções. A pandemia também afastou um pouco isso, a gente teve um longo período de proibição de visitas, inclusive das famílias. Então para ver os familiares era através do portão, por uma questão de segurança sanitária. Agora, com a diminuição [dos casos], a gente espera que esse contato familiar volte um pouco", diz. Fonte: G1

15 visualizações0 comentário