top of page

Malhar descalço? Saiba riscos do barefoot training, em alta no TikTok



Nas redes sociais, especialmente no TikTok, malhar descalço está em alta. Segundo os adeptos da prática, ela promete mais estabilidade, fortalece os músculos do tornozelo e dos pés, além de possibilitar o levantamento de cargas mais altas quando comparado ao treino com calçados.


Mas especialistas alertam que a recomendação não tem nenhuma comprovação científica e pode, inclusive, aumentar o risco de lesões. De acordo com a fisioterapeuta Walkyria Fernandes, especializada em ortopedia e traumatologia desportiva, os danos mais comuns relacionados à prática incluem dor lombar, síndrome da dor patelofemoral (lesão na cartilagem do joelho), tendinite do supra-espinal (inflamação no ombro) e bursites.


Para o personal trainer especialista em musculação Caio Signoretti, o perigo de seguir tendências da internet é que muitas informações são baseadas em suposições, sem confirmação científica, e raramente são respaldadas por um profissional.


“Eu nunca vi nenhuma comprovação afirmando que treinar descalço traz algum benefício para a performance ou resultado estético. Para aumentar os níveis de força dos membros inferiores, você precisa de estabilidade plantar – ou seja, na sola dos pés – para realizar agachamentos e o leg press, por exemplo. E isso pode ser feito usando um calçado apropriado para treinamento de força”, explica Signoretti.


Segundo o profissional, da mesma forma que temos calçados apropriados para corridas, feitos para reduzir o impacto, temos sapatos que garantem melhor estabilidade e, consequentemente, aumentam a força.


“Na academia, os riscos de treinar descalço incluem acidentes com quinas de aparelhos e com cargas: um peso (anilha) que cai ou uma máquina que pode prensar o pé e causar danos irreparáveis. Mesmo que o calçado não garanta proteção total, ele já miniminiza danos. Por isso, deve-se sempre treinar calçado”, alerta.

Os especialistas explicam que, para exercícios de força, os tênis em formato de bota são os que mais garantem proteção e estabilidade, especialmente na região do tornozelo. Mas o solado simples e achatado é o que mais importa: a regra para as atividades voltadas ao fortalecimento de membros inferiores é evitar calçados com plataformas altas ou solados com amortecedores que absorvem impacto.


Fora da academia, praticar exercícios físicos descalço também oferece risco — por isso, para treinar corretamente, a recomendação é sempre estar calçado.


“Se você for correr na rua, na praia ou em um parque, você pode cortar o pé com algum objeto, por exemplo. Nesse caso, a recomendação é usar um sapato com molas ou gel no solado para absorver o impacto e evitar lesões no joelho”, indica o educador físico.


Ainda de acordo com os profissionais, os danos provocados pela prática incorreta de exercícios podem levar a lesões que só se resolvem com cirurgias. Outras, inclusive, podem ser irreversíveis. Os especialistas ressaltam que é importante ter uma equipe multidisciplinar para orientar e prevenir danos ao corpo e à saúde.


Fonte: Metrópoles

24 visualizações0 comentário

Kommentit


bottom of page