Médico será investigado por morte de influenciadora após lipoaspiração



O ex-marido da influenciadora Liliane Amorim, morta no domingo (24/1) depois de lutar contra complicações decorrentes de uma lipoaspiração, abriu um boletim de ocorrência na Polícia Civil, ainda no domingo, contra o médico, por negligência.


Liliane fez uma lipoaspiração no dia 9 de janeiro, começou a ter complicações uma semana depois, no dia 17 de janeiro, foi internada na unidade de terapia intensiva (UTI) em Juazeiro do Norte, no Ceará. No sábado (23/1), o estado de saúde se agravou devido à sepse – infecção generalizada – e, um dia depois, a jovem de 26 anos morreu.


Bernardino Neto, ex-companheiro da empresária, registrou um boletim de ocorrência contra o médico de Liliane, Benjamim Alencar, porque, segundo o BO, “houve imperícia por parte do cirurgião plástico durante a cirurgia” e “negligência” nos dias seguintes ao procedimento. A informação é do portal G1.


No documento, Bernardino alegou que o cirurgião liberou Liliane “ainda com queixas de mal-estar” e “dor no abdômen”. Ele percebeu que, após a cirurgia, Liliane foi tratada com desdém por Benjamim: “Como se estivesse sendo fraca, ‘corpo mole'”. Anexada à ocorrência existe uma suposta gravação em que o médico diz que “a condição da paciente [Liliane] seria fruto de sua postura, não de erro médico”.


Os exames que Liliane realizou quando estava em tratamento mostraram que, além de ter sofrido um derrame pleural – água nos pulmões –, ela também apresentava o peritônio cheio de secreções intestinais e diversas perfurações no abdômen –, o que é fatal em uma cirurgia dessa natureza. O resultado desses exames também foram anexados ao boletim policial.

Liliane deixa um filho de 6 anos, cujo pai é o autor da denúncia. O corpo da jovem foi velado e enterrado em Afogados da Ingazeira, Pernambuco.


Fonte: Metrópoles

2 visualizações0 comentário