Médica é condenada por homicídio após diagnosticar refluxo em paciente que morreu de problemas cardí

Uma médica foi condenada por homicídio culposo após diagnosticar um paciente que apresentava dores no peito e no abdome como má digestão. O homem de 32 anos morreu de problemas cardíacos no sofá de casa, três horas depois de receber alta e prescrição de remédios para refluxo gástrico. O caso aconteceu em março de 2017, no atendimento de emergência de um hospital em Goiânia. Segundo o processo, a vítima não fez exames complementares para receber o diagnóstico correto.

A sentença da juíza Maria Umbelina Zorzetti é de outubro deste ano, mas divulgada na segunda-feira (9) pelo Tribunal de Justiça de Goiás. A magistrada fixou pagamento de danos materiais e morais aos herdeiros da vítima em R$ 20 mil e prestação de uma hora diária de serviços comunitários. O homem deixa dois filhos.

A magistrada entendeu que a tese da defesa da médica que pediu absolvição por ausência de provas vão contra os elementos colhidos no processo e que “comprovaram com segurança que a acusada agiu com culpa e foi a responsável pelo resultado morte da vítima”. Segundo a juíza, a médica não observou os protocolos de atendimento conhecidos para dores torácicas.

O advogado da médica foi procurado e disse que não vai comentar a decisão. O Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego), também procurado, não informou se a médica é investigada em processo administrativo disciplinar interno e não vai se pronunciar sobre a sentença.

Atendimento

Segundo o processo, o paciente procurou o pronto socorro de um hospital no dia 31 de março de 2017, com dores leves na região do coração e recebeu o primeiro atendimento. A médica que fez o primeiro diagnóstico também foi denunciada por homicídio, mas foi absolvida pela juíza porque seguiu o protocolo correto de atendimento e pediu exames de sangue e eletrocardiograma, que não detectaram, à época, indícios de infarto ou outro problema cardíaco.

Com o aumento das dores no peito e no abdome após o primeiro atendimento, a vítima procurou outro hospital, onde recebeu o diagnóstico de má digestão e a alta hospitalar. O paciente morreu três horas depois sentado no sofá de casa.

O laudo da autópsia cadavérica constatou que a causa da morte foi a ruptura de dissecção da aorta, lesão que faz com que o sangue invada as camadas mais internas da aorta e, assim, diminui a irrigação dos órgãos.

Sentença que condena a médica pelo diagnóstico errado que causou a morte do paciente, em Goiânia, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Fonte: G1

#homicídio #refluxo #condenada #diagnóstico #morte

4 visualizações0 comentário

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram