Juíza rejeita ação contra vacina para Covid de funcionários de hospital nos EUA


Uma juíza dos Estados Unidos rejeitou uma ação de 117 funcionários de um dos maiores hospitais do Texas, que entraram na Justiça após serem obrigados a se vacinar contra a Covid-19.


Os funcionários argumentaram que a ação do Hospital Metodista de Houston era ilegal, já que as vacinas disponíveis até o momento receberam autorização apenas para uso emergencial no país.

Na decisão, a juíza da corte federal Lynn Hughes negou a ação e afirmou que a segurança das vacinas não estava em jogo e a lei do Texas protege apenas funcionários que se neguem a cometer um crime. "Receber uma vacina contra Covid-19 não é um ato ilegal e não acarreta penalidades criminais", escreveu Hughes na sentença. O hospital estabeleceu 7 de junho como prazo para que os trabalhadores comprovassem ter recebido pelo menos uma dose, sob risco de demissão. Vacinação nos EUA Mais da metade da população americana já recebeu ao menos uma dose de vacinas contra a Covid-19 até o momento (51,98%, segundo o "Our World in Data", projeto ligado à Universidade Oxford).

O país tem uma das imunizações mais avançadas do mundo, com 309 milhões de doses aplicadas até o momento, atrás apenas da China (892 milhões) e à frente da Índia (249 milhões). Em termos proporcionais, são 92,49 doses aplicadas a cada 100 habitantes, atrás apenas de países bem menores como Israel (122), Chile (106), Reino Unido (105) e Uruguai (93,52). Importância de Houston para a medicina Houston é uma das capitais mundiais da medicina graças ao Texas Medical Center, um distrito da cidade que concentra hospitais e universidades.

Mais de 106 mil pessoas trabalham no distrito, onde cerca de 10 milhões de pacientes são atendidos todos os anos.


Fonte: G1

0 visualização0 comentário