top of page

Ir para a cama apenas 1 hora mais tarde já faz você se sentir descontente, mostra estudo



Uma nova revisão cientifica, que analisou mais de 154 estudos abrangendo 50 anos, mostrou que dormir menos do que o habitual, independentemente do número de horas, faz com que as pessoas se sintam menos positivas e felizes durante o dia.


O estudo, feito com mais de 5 mil pessoas entre sete e 79 anos de idade, descobriu ainda que a restrição do sono auxilia as pessoas a perderem sentimentos positivos, como felicidade ou entusiasmo. A perda de sono também foi associada a um maior risco de ansiedade e depressão, embora este efeito tenha sido menor.


“Na nossa sociedade, em grande parte privada de sono, as pessoas muitas vezes ficam acordadas até tarde e não queremos que tenham medo de o fazer, mas esta análise sugere que menos sono terá um efeito no humor. Eles normalmente estão menos motivados para socializar, por isso correm maior risco de isolamento e solidão”, afirma Jo Bower, que liderou o estudo da Universidade de East Anglia, na Inglaterra.


Mas os pesquisadores também analisaram os efeitos de dormir menos do que o normal e de acordar durante a noite. Esta última não estava ligada a um aumento significativo de emoções negativas – ao contrário dos outros dois tipos de perda de sono.


Em alguns experimentos, os participantes permaneceram acordados por um longo período. Em outros, eles tiveram permissão para dormir menos do que o normal e, em outros, foram acordados periodicamente durante a noite. Os pesquisadores testaram as pessoas com experimentos que incluíam mostrar às pessoas imagens perturbadoras, como uma cobra ou alguém apontando uma arma, ou pedir-lhes que realizassem tarefas estressantes, como aritmética mental.


As pessoas que dormiram menos reagiram de forma menos forte e menos negativa, sugerindo que se importavam menos. Surpreendentemente, uma completa falta de sono e menos sono estavam ambos ligados a uma maior redução nas emoções positivas do que a um aumento nos sentimentos negativos, como tristeza ou preocupação.


Isso pode ocorrer porque a privação de sono faz com que o corpo libere quantidades maiores do hormônio do estresse cortisol, que ativa uma resposta de luta ou fuga no sistema nervoso. Essa resposta leva a sintomas físicos de ansiedade, incluindo respiração rápida e frequência cardíaca elevada.


Além disso, não dormir o suficiente altera a quantidade de serotonina produzida pelo cérebro, que regula o humor. A falta de serotonina pode resultar em sentimentos de depressão, incluindo baixa felicidade e diminuição da auto-estima.


No geral, os pesquisadores descobriram que todos os três tipos de perda de sono resultaram em menos emoções positivas, como alegria, felicidade e contentamento entre os participantes, bem como aumento dos sintomas de ansiedade, como batimentos cardíacos acelerados e maior preocupação.


Entretanto, eles garantem que há limitações no estudo, como por exemplo, a maioria dos participantes serem adultos jovens – a idade média era de 23 anos. Os pesquisadores agora querem fazer novas pesquisas e incluir uma amostra etária mais diversificada para entender melhor como a privação de sono afeta pessoas em diferentes idades.


Fonte: O Globo

4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page