Incerteza sobre temperatura de armazenamento e transporte prejudica vacinação no sudeste da Alemanha


 
 

A campanha de vacinação contra o coronavírus na Alemanha teve atrasos no estado da Baviera neste domingo (27) depois que os rastreadores de temperatura mostraram que cerca de mil injeções das farmacêuticas BioNTech/Pfizer podem não ter sido mantidas em temperatura fria o suficiente durante o traslado.

"Ao ler os registradores de temperatura colocados nas caixas térmicas, surgiram dúvidas sobre o cumprimento dos requisitos da cadeia de frio", afirmou um comunicado do distrito de Lichtenfels, no norte da Baviera.

A equipe médica descobriu que a temperatura em uma caixa térmica de transporte de vacina subiu para 15 graus Celsius, disse um porta-voz de Lichtenfels, acima do máximo de 8 ºC estipulado pelos fabricantes.

A vacina da BioNtech/Pfizer usa a nova tecnologia mRNA, que exige que o imunizante seja armazenado em temperaturas ultrabaixas de -70 graus Celsius antes de ser enviada aos centros de distribuição em caixas térmicas especialmente projetadas.

Uma vez fora do armazenamento em temperatura ultrabaixa, a vacina deve ser mantida entre 2 ºC e 8 ºC para permanecer eficaz por até cinco dias. As caixas térmicas foram projetadas pela Pfizer. Elas transportam as vacinas em gelo seco e são equipadas com rastreadores GPS para que as empresas possam lidar com possíveis problemas de armazenamento durante o trajeto.

O porta-voz de Lichtenfels disse que mil injeções foram afetadas e que a cidade e os distritos de Coburg, Kronach, Kulmbach, Hof, Bayreuth e Wunsiedel, no norte da Baviera, estavam esperando uma resposta da BioNTech sobre se a vacina ainda poderia ser usada.

A BioNTech disse que respondeu as perguntas dos distritos sobre se as injeções ainda poderiam ser usadas, mas se recusou a especificar o que havia dito a eles. A Pfizer pediu para a Reuters contatar a BioNTech. "A campanha de imunização contra o coronavírus não se trata de quem vacina mais rápido ou quem administra mais doses. Segurança e trabalho consciente em benefício da população têm a maior prioridade", disse Oliver Baer, administrador distrital em Hof.

Os atrasos na Alemanha reforçam o desafio que é administrar a vacina enquanto os reguladores analisam a aprovação de alternativas, como as feitas pela Moderna e pela AstraZeneca, que são mais fáceis de transportar e armazenar.


Fonte: G1

2 visualizações0 comentário