Idosos se recusam a tomar vacina após padre dizer que são feitas “com fetos abortados”



O padre de Pedras Grandes (SC), Claudemir Serafim, afirmou durante seu sermão na missa dominical, no último dia 24 de janeiro, que há problemas morais em relação à vacina contra o coronavírus e que está comprovado que o imunizante é feito com fetos abordados.


Por conta das afirmações do padre, alguns idosos que frequentam as missas dizem que vão se recusar a tomar a vacina após a informação repassada na igreja. Um vídeo com o trecho do sermão está sendo divulgado nas redes sociais:





“O vírus não é católico porque odeia nosso Senhor e tem fechado as igrejas e a salvação para a nossa vida, nossa alma, não está na vacina. Há vários problemas morais em relação à própria vacina, que está comprovado que é feita com fetos abortados. Dos milhões de abortos muito mais elevados do que as mortes por coronavírus no mundo destes pobres seres humanos jogados nas lixeiras dos hospitais, fizeram vacinas”, diz o padre.


O que diz o Vaticano


Em nota publicada no Vatican News, a sede da Igreja Católica afirmou que, no caso da atual pandemia, “podem ser usadas todas as vacinas reconhecidas como clinicamente seguras e eficazes com a consciência certa de que o uso de tais vacinas não significa cooperação formal com o aborto do qual derivam as células com as quais as vacinas foram produzidas”.


A entidade disse ainda que é “moralmente aceitável o uso de vacinas anti-Covid-19 que tenham usado linhas celulares de fetos abortados no seu processo de pesquisa e produção”. Ainda assim, o Vaticano pediu que a indústria farmacêutica desenvolva vacinas totalmente éticas.


Fonte: Revista Fórum

6 visualizações0 comentário