Ibaneis entraga tomógrafo e reconhece problemas na Saúde


 
 

O PET Scan do Hospital de Base vai começar a funcionar após oito anos parado. O aparelho foi entregue pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) à unidade de saúde na manhã desta quinta-feira (28). O equipamento é utilizado em exame de imagem e escaneia todo o corpo para identificar tumores e problemas metabólicos.


O scanner tem capacidade para realizar dez exames por dia, chegando a 50 exames por semana ou 2.600 procedimentos ao ano. "[O equipamento] vai ajudar muito no diagnóstico de vagas doenças e um tratamento mais preciso", levantou Ibaneis. O investimento na compra, realizada em 2013, foi de US$ 1 milhão.


Desde então, o aparelho estava encaixotado, pois o hospital não tinha condições de receber o equipamento de 5 toneladas. Após uma parceria com a iniciativa privada, o espaço do hospital foi adaptado para receber o tomógrafo.


Dificuldades da Saúde


Ainda durante a agenda oficial, o governador reconheceu os problemas na Saúde do DF. "Em 2019, os hospitais tinham filas enormes, as pessoas aguardando atendimento por horas. Conseguimos melhor isso, mas, logo em seguida, veio a pandemia, o que atrapalhou principalmente em relação às cirurgias eletivas".


Os procedimentos foram suspensos durante os períodos mais críticos da crise sanitária e retomados em maio deste ano. Na fila de espera pelas operações estão quase 19 mil pessoas. "Nós temos que avançar agora, para que a gente siga em um ritmo mais acelerado para colocar em dia a Saúde do DF", ressaltou o governador.


Ibaneis afirmou que a expectativa é que a fila por cirurgias eletivas esteja reduzida até março do ano que vem. Para isso, ele ponderou que investe no pagamento de extras a profissionais da Secretaria de Saúde. Além disso, o governo pretende fazer um levantamento das vacâncias na rede. Por isso, não descartou novas contratações para a área.


O secretário de Saúde, Manoel Pafiadache, pontuou que a pasta pretende recompor trabalhadores como médicos e também enfermeiros. "Os pilares da Saúde se baseiam em RH e insumos, essa é nossa briga para normalizar, para que a gente não tenha dificuldade, principalmente, em uma virada de ano, que é sempre mais difícil", afirmou.


Os contratos dos hospitais de campanha, por exemplo, estavam sob estudo no Tribunal de Contas. Além disso, o secretário alegou que o GDF deve repassar recursos para o pagamento de dívidas da pasta de anos anteriores. "Nosso relacionamento com os fornecedores, isso a gente está precisando resgatar".


Prédio


Ainda na manhã desta quinta-feira (28), o governador entregou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Gama. "Vai ajudar muito a Saúde do Distrito Federal, porque o Hospital do Gama sofria de uma superlotação. Com a UPA, a gente espera ter condições de dar um atendimento melhor à comunidade", frisou Ibaneis.


Plano de saúde


O plano de saúde do GDF para os servidores públicos vai passar a ofertar modalidades para atender funcionários públicos de menor renda. Segundo o governador, a previsão é de que o Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores (Inas) passe a oferecer a segunda faixa a partir da próxima semana. "Vai ter uma rede bastante ampliada. Muda questão de internação em quarto, enfermaria, algumas coisas que vão reduzir o preço para que eles possam ter acesso", ressaltou Ibaneis. Agora, o plano também passa a ter alcance nacional.


Fonte: R7

5 visualizações0 comentário