Ibaneis amplia horário de funcionamento de bares, restaurantes e delivery no DF


O governador Ibaneis Rocha (MDB) ampliou o horário de funcionamento de bares e restaurantes para até as 23h. O novo decreto foi assinado nesta segunda-feira (3/5).


Os estabelecimentos desse setor retomaram as atividades no dia 29 de março, após um mês de lockdown parcial. Desde o fim de março até o dia 12 de abril, tinham autorização para abrir até as 21h. Em 13 de abril, o horário foi estendido para 22h.


A flexibilização acontece no dia em que a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-DF) e o Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília (Sindhobar) se uniram para protocolar pedido de mudança do horário de funcionamento dos bares e restaurantes da capital federal.


Contatado pela coluna Grande Angular, Ibaneis disse que os números da pandemia verificados nos últimos dias permitem a ampliação dos horários. “Esta semana já devemos ter em funcionamento o Hospital de Campanha do Gama, e os outros na semana que vem”, afirmou.

O horário permitido para venda de bebidas alcoólicas na capital federal também foi estendido: a partir da publicação do decreto, os produtos podem ser comercializados até as 23h. Antes, era vetada a comercialização a partir das 21h.


Os shoppings centers e centros comerciais passarão a funcionar das 10h às 22h, exceto bares e restaurantes que estejam dentro desses locais. Os estabelecimentos desse segmento estavam operando das 13h às 21h.


Nesta segunda-feira, o governador também alterou o horário do toque de recolher. Antes vigente das 22h às 5h, agora a medida de restrição de circulação passa a valer das 0h às 5h.


Delivery


As entregas por delivery no Distrito Federal, que estavam autorizadas até as 23h, agora poderão ser realizadas até 0h. Conforme a regra que ficará vigente a partir da publicação no Diário Oficial do DF (DODF), os pedidos devem ser feitos até as 23h.


O novo decreto ainda libera as atividades dos circos no DF. Assim como ocorre nos cinemas e teatros, os circos podem funcionar com até 50% da capacidade de público e devem seguir os protocolos sanitários.


Fonte: Metrópoles


4 visualizações0 comentário