Homem emagrece 36 kg durante a pandemia e desiste de bariátrica



O analista de compras Ricardo Freitas, de 39 anos, chegou a 127 kg no ano passado e, em consequência, começou a sentir fortes dores no joelho, reflexo do sobrepeso vivido por anos. A cirurgia bariátrica parecia, nesse momento, a solução para seus problemas de peso e saúde.


Pouco antes da cirurgia, no entanto, as dietas mirabolantes e sem resultado deram espaço a um processo de reeducação alimentar acompanhado de uma série de exercícios, com destaque para a corrida e crossfit. O resultado? Em oito meses, entre fevereiro e setembro, Ricardo emagreceu 36 kg. A maior parte em plena quarentena provocada pela pandemia de Covid-19, que começou em março.

A luta no combate ao sobrepeso Durante alguns anos, Ricardo, morador de Serra no Espírito Santo, enfrentou o problema de estar acima do peso ideal, o que trouxe consequências para o seu cotidiano. Uma simples caminhada já era motivo para cansaço, o levando a uma fadiga não somente física, mas também mental.

- Eu não conseguia fazer exercícios físicos. Não passava pela minha cabeça que o problema era o sobrepeso. Na verdade, não queria acreditar naquilo. A minha esposa me dava uns toques que precisava mudar, pois eu estava comendo demais, não praticava atividades físicas. Eu ficava muito cansado e as dores no joelho me incomodaram bastante - relata Ricardo. Nesse período, ele adotou algumas dietas tentando encontrar uma solução. Seguiu algumas dietas arriscadas que, na prática, não surtiram nenhum efeito e até chegaram a ser prejudiciais para a sua saúde. Outro obstáculo a ser enfrentado: a autoestima. Certa vez, Ricardo esteve disputando uma vaga de emprego e perdeu a oportunidade por causa do sobrepeso.

- Já tinha passado por todas as etapas de um processo seletivo e, no final, tinha que fazer um teste físico necessário para a função. Eu demonstrei bastante cansaço ao subir e descer as escadas, caminhar uma determinada quilometragem, e isso foi determinante para eu não conseguir a vaga - explica.

Com as tentativas frustradas das dietas e dores no joelho, Ricardo, com 127 kg, tomou a decisão de recorrer à bariátrica. Ao fazer os exames antes da cirurgia, ele descobriu que tinha apneia do sono, um distúrbio comum em quem sofre com a obesidade, que causa ronco e no qual a respiração para e volta algumas vezes ao dormir. Com todos os exames feitos, ele estava na fila para realizar a cirurgia no final de 2019. O começo da mudança: a reeducação alimentar A história de Ricardo ganhou um novo rumo quando ele participou de um sorteio e foi premiado com um acompanhamento profissional em um método de emagrecimento. Neste momento, ele colocou a ideia da bariátrica em pausa. O primeiro passo de sua transformação começou nos hábitos alimentares. Até então, ele deixava de almoçar e preferia comer pizzas e lanches no jantar.

- Primeiro, mudei o meu horário de comer. De uma hora pra outra, cortei massas, frituras, lanches, refrigerantes, sucos com açúcares. Em compensação, comecei a comer verduras, frutas, castanhas e queijo branco. No almoço, sempre escolhia dois tipos de verduras, como taioba e maxixe, acompanhado de uma proteína, que poderia ser um frango ou uma carne magra, a exemplo do patinho. De tarde, fazia um lanche e à noite optava por uma comida mais leve - esclarece. Crossfit e corrida, um novo estilo de vida Em paralelo à mudança alimentar, Ricardo se desafiou e quis conciliar a rotina com uma antiga vontade: entrar no crossfit. Com um programa de exercícios personalizado, ele entrou numa academia de seu bairro e comparecia diariamente ao crossfit. Aliando uma nova dieta com os exercícios, ele se pesou na balança ao fim do primeiro mês e notou que perdeu 15 kg.

Ele ainda tinha como meta praticar a corrida de rua, uma atividade que o interessava há muitos anos, mas nunca conseguiu exercê-la como gostaria.

- Eu olhava as pessoas correndo e pensava: jamais vou conseguir fazer isso. Não aguentava nem correr 30 segundos. Junto ao crossfit, comecei aos poucos a praticar a corrida com o meu professor. Corria um minuto, caminhava outros dois minutos, e fui aumentando gradualmente. Vi que estava dando resultado, fiquei feliz. Ao completar três meses, tinha perdido 27 kg - afirma. Nesse momento, a pandemia já tinha chegado e Ricardo precisou se adaptar ao momento.

Afinal, no meio de março começaram as restrições. Por conta do fechamento das academias, pegou alguns aparelhos emprestados e os levou para a sua própria casa. Dessa forma, pode aproveitar das aulas on-line com o seu personal. Durante esse tempo, realizou exercícios aeróbicos, usou cordas e halteres. Inclusive, aproveitou o espaço de seu quintal para fazer corridas de 5 km.

De maio para cá, Ricardo perdeu mais 9 kg, totalizando 36 kg desde o começo do ano. Aqueles problemas do passado, como dores no joelho e apneia do sono, foram superados. Um “novo” Ricardo surgiu em 2020.

- Estou muito feliz com o meu estilo de vida. Já cheguei a receber mensagens nas redes sociais de pessoas que não conheço dizendo que servi de inspiração para a mudança delas. Hoje, mantenho a alimentação regrada e não penso mais em lanches e refrigerantes. Mantenho o crossfit três vezes por semana e intercalo com corridas de 5 km e 10 km. Essa transformação também serviu para a minha esposa e minha filha de 15 anos, que aderiram aos hábitos alimentares saudáveis e entraram no crossfit - completa.


Fonte: Globoesporte

7 visualizações

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram