top of page

Hipertensão: saiba riscos à saúde da condição do cantor Sidney Magal



O cantor Sidney Magal, 72 anos, está internado desde a última quinta-feira (25/5), por causa de uma crise de pressão alta que sentiu durante um show em São José dos Campos, no interior de São Paulo. O artista, que tem diagnóstico de hipertensão, ainda não tem previsão para voltar para casa.


A hipertensão, mais conhecida como pressão alta, é uma doença crônica muito comum. A condição prejudica a circulação sanguínea, fragilizando os vasos e impedindo a oxigenação correta de órgãos vitais, como o cérebro e o coração.


O cardiologista Fabrício da Silva, do Hospital DF Star, lembra que a pressão alta requer atenção constante de quem possui o diagnóstico. “O ideal seria que as pessoas fizessem a checagem da pressão uma vez por semana. O patamar máximo é 12 x 8, acima disso já é um alerta, pois a condição é silenciosa e não dá indícios de que as crises vão ocorrer”, afirma.


O médico acrescenta que obesidade, alcoolismo, tabagismo, má alimentação e apneia do sono são fatores de risco para o problema. “Preste atenção no ronco das pessoas de casa e investigue o motivo dele, muitas vezes é um quadro de pressão alta desconhecido”, sugere Silva. Além de ser uma condição problemática por si só, a pressão alta pode desencadear outras doenças cujo desfecho pode ser fatal. Saiba quais são:


1. Infarto


O infarto ocorre quando um coágulo bloqueia o fluxo sanguíneo para o coração, impedindo que o órgão receba o oxigênio necessário.


“A pressão alta é o principal fator de risco para o infarto. O aumento excessivo da pressão nas paredes do coração dificulta seu funcionamento adequado, podendo afetar a contração e o relaxamento do músculo cardíaco. Além disso, se a hipertensão não for tratada corretamente ao longo dos anos, as artérias coronárias podem ficar enfraquecidas e lesionadas”, diz Silva.


2. AVC


O acidente vascular cerebral, conhecido popularmente como derrame cerebral, ocorre quando há bloqueio ou ruptura de um vaso sanguíneo no cérebro. A pressão alta é um fator de risco, pois ela danifica as veias e as artérias cerebrais.


Além disso, a pressão alta pode levar a uma arritmia específica chamada fibrilação atrial. Essa arritmia potencialmente grave pode gerar coágulos no coração, que podem se soltar e obstruir uma artéria cerebral, resultando em derrames mais severos.


3. Insuficiência cardíaca


A insuficiência cardíaca ocorre quando o coração não consegue bombear sangue suficiente para suprir as necessidades do corpo. A hipertensão dificulta os batimentos cardíacos, fazendo com que o coração tenha que trabalhar mais do que o normal. Com o tempo, o coração pode aumentar de tamanho, ficando mais fraco e perdendo seu ritmo adequado.


4. Insuficiência renal


A pressão alta também sobrecarrega e enfraquece os rins, e vice-versa: quando os rins não funcionam corretamente, a pressão arterial pode ficar descontrolada. Cria-se, portanto, um ciclo vicioso que, se não for tratado, pode levar à perda da função renal e à necessidade de diálise.


5. Arritmia cardíaca


A arritmia cardíaca ocorre quando há uma alteração no ritmo dos batimentos cardíacos. Essa condição pode ser causada pela hipertensão ou agravada pelo aumento da pressão arterial. Em alguns casos, a arritmia pode progredir para insuficiência cardíaca.


6. Doença arterial periférica


A doença arterial periférica ocorre quando uma artéria se estreita aos poucos, muitas vezes pelo acúmulo de colesterol, dificultando o fluxo sanguíneo. Ela pode causar danos ao membros inferiores devido ao acúmulo de de placas de gordura e perda de flexibilidade nas paredes dos vasos sanguíneos arteriais, responsáveis por levar o sangue para nutrir as extremidades do corpo, como as pernas.


Fonte: Metrópoles

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page