top of page

Hematoma subdural: entenda quadro que levou Tony Ramos a passar por cirurgia no cérebro



O ator Tony Ramos, de 75 anos, foi internado nesta quinta-feira (16) e passou por uma cirurgia para drenar um hematoma subdural – um sangramento intracraniano. A cirurgia foi considerada bem-sucedida e o estado do ator é estável, segundo boletim médico.


Um hematoma subdural ocorre quando há um acúmulo de sangue entre o cérebro e o crânio. Há dois tipos: crônico e agudo. O crônico é o mais comum e acontece, normalmente, quando alguém bate a cabeça "de forma banal" – esse pode ter sido o caso do ator.


"O hematoma subdural agudo normalmente é consequente a traumas de um impacto maior, como acidentes de carro, queda de moto ou queda de altura. Já o crônico pode acontecer mesmo em situações de um trauma de baixo impacto. É um tipo de hematoma que vai crescendo aos poucos", explica Victor Hugo Espíndola, neurocirurgião e especialista em doenças cerebrovasculares.


O hematoma subdural crônico pode acontecer até dois meses após o trauma e o paciente, muitas vezes, não lembra o que pode ter provocado isso.


Os sintomas também podem demorar a aparecer. Entre eles estão: dor de cabeça que não passa com medicação, sonolência, confusão, perda de movimento de um lado do corpo. Se não for tratado, Espíndola alerta que pode levar ao coma.


"Se o hematoma crescer progressivamente e causar um quadro de hipertensão intercraniana muito grave, o paciente pode entrar em coma e morrer", diz o neurocirurgião.

O tratamento vai depender basicamente do tamanho do hematoma. Se for muito pequeno, o médico pode observar e às vezes fazer uso de medicações. Se a lesão for grande, o neurocirurgião explica que é preciso fazer a cirurgia para tirar o sangramento e aliviar a pressão dentro do cérebro.


A recuperação dos casos crônicos exige uma internação hospitalar de 2 a 3 dias. Nos casos agudos, se for operado rápido, em uma semana o paciente está em casa.


Fonte: G1

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page