top of page

Hérnia de disco: veja sintomas, causas e tratamentos



As vértebras são os ossos que compõem a coluna vertebral. Dentro delas, há um canal por onde está localizada a medula espinhal. Entre elas, há discos chamados "intervertebrais", em forma de anel. O que se conhece como hérnia de disco é uma condição caracterizada pelo deslocamento do "núcleo pulposo" — conteúdo mole localizado nos discos — para dentro do canal, provocando a compressão das estruturas nervosas da coluna. Mais comum nas regiões da lombar e da cervical, as hérnias de disco são definidas conforme sua localização e podem ter causas diversas. Quais são os sintomas da hérnia de disco? Os sintomas variam de acordo com a localização da hérnia de disco, os mais comuns são:

  • Dor intensa na coluna, principalmente onde está a hérnia de disco;

  • Alterações de sensibilidade ou dores nos membros superiores se a hérnia estiver na coluna cervical;

  • Alterações de sensibilidade ou dores nos membros inferiores se a hérnia estiver na lombar;

  • Formigamento;

  • Perda de força.

Segundo o médico ortopedista Christiano Esteves Simões, na maior parte dos casos as hérnias são localizadas na lombar e apresentam os sintomas conhecidos como "ciáticos", e podem variar desde as dores ao longo do trajeto da raiz que está sendo comprimida, aos sintomas neurológicos, como o formigamento ou a perda de força. No caso das hérnias de disco cervicais e torácicas, há risco da existência de problemas medulares, já que pode haver compressão da medula e ocorrência de sintomas mais graves, de mielopatia — lesões na região da medula —, que vão de quadros mais leves, como a fraqueza e a paralisia parcial, até o comprometimento total dos membros, paraplegia e tetraplegia, em casos extremamente graves. O que pode causar hérnia de disco? De modo geral, os fatores genéticos são determinantes no desenvolvimento das hérnias de disco. No entanto, problemas relacionados à postura, atividades laborais e hábitos de vida também podem colaborar para o surgimento das hérnias. O tabagismo, por exemplo, é um dos fatores de risco citados pelo especialista, já que ele favorece o desgaste do que se chama de ânulo fibroso (parte mais externa e mais rígida do disco intervertebral). Além disso, atividades com repetição, sobrecarga e vibração na coluna também estão associadas ao surgimento das hérnias de disco.

— Todas aquelas causas que vão acelerar o processo degenerativo podem precipitar o surgimento da hérnia, principalmente naqueles que já tenham uma predisposição genética — explica o ortopedista.

As hérnias de disco costumam surgir na terceira e quarta décadas de vida, devido ao processo degenerativo, mas, segundo o médico, podem acometer pessoas em qualquer faixa etária, como os adolescentes e até mesmo os idosos, que não costumam apresentar hérnias. Como é feito o diagnóstico da hérnia de disco? O diagnóstico da hérnia de disco costuma ser realizado por meio de exames clínicos. O histórico dos sintomas, os relatos do paciente e a evolução do quadro fornecem as informações necessárias para que o médico diagnostique o problema. Também podem ser realizados testes físicos para avaliar o nível de comprometimento da força, sensibilidade e reflexos.

Além disso, o ortopedista ressalta que existem exames complementares, como a ressonância magnética, que podem ser necessários para o tratamento da hérnia de disco. A ideia desses exames é definir a extensão da hérnia e analisar se há alguma alteração crônica no caso. Esses exames são mais comuns quando a hérnia está localizada em regiões próximas à medula.


Exames como a tomografia, a mielografia e a radiografia podem ser aliados, mas não substituem o exame clínico realizado pelo médico. Qual é o tratamento para hérnia de disco? As hérnias de disco costumam ser tratadas de forma satisfatória com o que se chama de "tratamento conservador". Nele estão inclusas sessões de fisioterapia — com o intuito de fortalecer e alongar —, orientações posturais, redução das situações de risco e repouso. O tratamento é feito para tirar o paciente da crise e as práticas devem ser mantidas pelo paciente mesmo depois de parar de apresentar os sintomas.

Segundo o Ministério da Saúde, 90% das pessoas que apresentam hérnias conseguem retomar a rotina dentro de apenas um mês. A cirurgia é indicada apenas nos casos em que o tratamento conservador não surte efeito. Isso precisa ser avaliado pelo médico, levando em consideração fatores como a gravidade dos sintomas e o déficit motor. Como prevenir a hérna de disco? Existem algumas medidas que podem ajudar a reduzir as chances de surgimento das hérnias de disco. São elas:

  • Atenção à postura

  • Redução de atividades que levam à sobrecarga da coluna

  • Evitar o tabagismo;

  • Praticar atividades físicas regularmente

Fonte: O Globo

4 visualizações0 comentário

תגובות


bottom of page