GDF incluirá profissionais de educação física na área da saúde



O Governo do Distrito Federal (GDF), editará e publicará amanhã (19), um decreto para incluir na lista de atividades que devem voltar a funcionar os profissionais de educação física na área de saúde. Com isso, o grupo será considerado parte da categoria que presta serviços essenciais. Até o momento esses profissionais figuravam como serviço na área de lazer. 


A  Secretária de Esportes do Distrito Federal, Celina Leão, confirmou a intenção de mexer na categoria do serviço nesta terça-feira (19). 


A movimentação ocorre após um grupo de educadores físicos se reunirem na porta do Palácio do Buriti para pedir o retorno das atividades o quanto antes. 


Para Celina, o grupo é parte essencial da rotina das pessoas. “Os profissionais de Educação Física são essenciais para a saúde da pessoas. Tornar a categoria, durante a pandemia, como profissionais da saúde, faz com que a população tenha acesso a esses profissionais com segurança, porque eles seguiram um protocolo de segurança como todo o profissional da saúde”, explicou ao Jornal de Brasília. 


Pessoas que apresentam comorbidades ou tem mais de 60 anos, ou seja, fazem parte do grupo de risco, não podem parar suas atividades físicas repentinamente por um período de 60 dias, lembrou a Secretária. 


Celina ainda disse que a atividade pode ajudar no combate a pandemia. “E mais, está mais que comprovado que atividade física só traz benefícios para ser humano: físico e mental. Acredito que essa medida é necessária para uma sociedade mais saudável”, completou Celina. 

Com a decisão, o grupo de professores de educação física e preparadores físicos com registro no Conselho Regional de Educação Física (CREF) poderá voltar a trabalhar. 


Eles poderão, por exemplo, ter acesso a unidades de saúde e hotéis, que servem de abrigos para aqueles que fazem parte do grupo de risco se protegerem durante a pandemia. Os profissionais serão autorizados a entrar nestes locais para auxiliar no tratamento para reduzir a gravidade de doenças como hipertensão e diabetes, que são comorbidades. 


Comércio Suspenso 


Na tarde desta terça-feira (19) a Justiça Federal suspendeu a decisão judicial que determinava a reabertura escalonada do comércio no Distrito Federal em meio à pandemia do novo coronavírus.


O juiz responsável pela decisão, Roberto Carlos de Oliveira entendeu que a juíza que analisou o caso não tem competência para atuar no processo. A determinação é um recurso apresentado pelo GDF à decisão tomada pela juíza Kátia Balbino de Carvalho, da 3ª Vara Federal Cível.


Fonte: Jornal de Brasília

2 visualizações

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram