Paciente morre após peregrinação em hospitais do Rio; Família ficou 24h sem notícias



Parentes de Bertino Joaquim de Lima, de 66 anos, reclamam que a família ficou mais de 24 horas sem notícias sobre o estado de saúde dele. Bertino morreu na manhã de quarta-feira (2) no Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, na Zona Oeste do Rio.


Dias antes, ele mandou um áudio para os parentes denunciando a dificuldade de atendimento. "Olha como é que nós estamos: situação crítica mesmo, duas semanas na mesma posição, já dando trombose nas pernas já, e o médico mesmo falou para mim que não tem material, não tem remédio, não tem nada. E o que acontece? Os pagamentos estão atrasados. O que acontece?", questionou Bertino. A mensagem foi gravada no dia 21 de agosto. Ele foi operado no dia 24 e recebeu alta na terça-feira (1). O paciente ficou quatro horas em casa, passou mal e voltou ao hospital, onde morreu por conta de uma parada cardiorrespiratória.

Ele havia sido internado pela primeira vez no dia 12 de agosto, depois de fraturar a coluna ao cair de uma laje.

Os parentes dizem que a situação piorou porque tiveram que fazer uma peregrinação por várias locais até conseguir assistência – primeiro na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Campo Grande e depois em Rocha Miranda. Apesar de continuar passando mal, ele teve alta nas duas unidades. Diante desse quadro, a família o levou ao Albert Schweitzer.

A partir daí, seguiu-se um dia inteiro sem informações. Apenas ao meio-dia de quarta os parentes foram informados que Bertino havia morrido às 6h30.

"Queremos saber realmente o que aconteceu. Tem muita gente aí dentro do hospital morrendo sem a gente saber. Estou revoltada. O caso dele era urgente - ele era diabético e hipertenso", explicou a filha de Bertino, Renata de Lima.

A Secretaria Municipal de Saúde disse que está investigando por que Bertino recebeu alta das unidades antes de dar entrada no Albert Schweitzer.

A nota afirma, ainda, que ele tomou remédio para a trombose e que recebeu alta porque estava bem, mas que retornou com falta de ar e o quadro se agravou. Outros casos Durante a madrugada, o Bom Dia Rio soube do caso de Wilson Ferreira de Oliveira, de 83 anos. Ele teve um acidente vascular cerebral (AVC) e foi internado na terça-feira (1). A família teve o último boletim às 20h do mesmo dia.

Às 4h desta quinta-feira (3), o filho de Wilson foi informado sobre a morte do pai.

"Eu estive no hospital ontem, às 22h. Ele faleceu às 23h, mas só me ligaram às 4h. Não consegui informação nenhuma de terça-feira à noite, que havia sido a última mensagem que me mandaram. Passou a noite de terça, passou a quarta-feira inteira, e só me ligaram às 4h de quinta. Não consegui informação nenhuma esse período -- essa era a minha reclamação", disse o filho de Wilson, Wanderley Oliveira. Na quarta-feira, o Bom Dia Rio esteve no Hospital Salgado Filho e presenciado o caso da gestante Gabriela Tobias Leão, de 18 anos. Ela morreu após contrair uma infecção durante um procedimento de cesariana -- o bebê sobreviveu.

A família passou mais de 20 horas sem informações. Apenas depois a família soube que Gabriela havia morrido durante a transferência para outra unidade.


Fonte: G1

6 visualizações

© 2020 Portal Saúde Agora. Tudo sobre SAÚDE em um só lugar!

  • Instagram