EUA analisa vacinas da Pfizer e Moderna para bebês e crianças pequenas



Um painel de especialistas dos Estados Unidos se reunirá nesta quarta-feira (15) para avaliar a recomendação de vacinas contra a Covid-19 para bebês e crianças com menos de 5 anos.


Após concluir os ensaios clínicos, os laboratórios Pfizer e Moderna entregaram os resultados dos testes das vacinas. A Pfizer testou o imunizante em bebês de 6 meses a crianças de 4 anos e a Moderna, em bebês dos 6 meses a crianças de 5 anos. Assim como no Brasil, crianças menores de 5 anos ainda não foram vacinadas nos Estados Unidos.

O processo de autorização das vacinas acontecerá em várias etapas: primeiro, especialistas independentes são encarregados de revisar todos os dados disponíveis durante debates transmitidos ao vivo pela internet. No final do dia, votarão se recomendam ou não a autorização dessas vacinas para essas faixa etárias.

Em caso de parecer favorável, a agência americana de medicamentos (FDA, na sigla em inglês) pode conceder sua autorização. Em uma análise de ensaios clínicos publicada na semana passada – para fornecer uma base para as discussões dos especialistas – a própria FDA avaliou que as vacinas são seguras e eficazes.

Se houver o aval da FDA, será a vez da aprovação do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC); os especialistas do painel se reunirão nesta sexta-feira (17) e no sábado (18). Se autorizada, a vacinação pode começar já na semana que vem, segundo a AFP.

Cerca de 10 milhões de doses seriam enviadas imediatamente para as diferentes regiões do país, que seriam seguidas por mais milhões nas próximas semanas, informou o governo dos EUA. Dosagem e eficácia A dosagem de ambas as vacinas foi adaptada: no caso da Moderna, equivale a um quarto da dose dos adultos – 25 µg (microgramas) em vez de 100 µg. Na da Pfizer, a dose infantil é um décimo da dose adulta (3µg contra 30 µg).

A principal diferença entre as duas vacinas é a quantidade de doses necessárias para a proteção: a vacina da Moderna continuará sendo aplicada em duas doses, como para outras faixas etárias. A da Pfizer será dada em três, devido à baixa dose escolhida para reduzir efeitos colaterais em bebês, como febre. As duas primeiras doses da Pfizer serão aplicadas com 3 semanas de intervalo, e a terceira, 8 semanas após a segunda.

De acordo com uma estimativa preliminar, a vacina da Pfizer teve 80% de eficácia contra as formas sintomáticas da doença nas faixas etárias analisadas, mas o número é baseado em um pequeno número de casos positivos, segundo a FDA.

Já a vacina da Moderna demonstrou ser 51% eficaz em bebês de seis meses a menos de 2 anos e 37% eficaz em crianças de 2 a 5 anos – números consistentes com a eficácia observada em adultos contra a variante ômicron, segundo a agência americana.

A vacina continua protegendo bem contra casos graves de Covid-19; na terça-feira (14), o comitê da FDA recomendou que a vacina fosse autorizada para crianças a partir dos 6 anos. Fonte: G1

5 visualizações0 comentário