Estudo sugere que psicoterapia pode ajudar com dor crônica nas costas



Uma revisão de 97 estudos com mais de 13 mil pacientes feita por cientistas da Universidade de Sydney, na Austrália, mostra que, além do tratamento físico, a psicoterapia pode ajudar pacientes com dor crônica nas costas.


Segundo a pesquisa, que foi publicada na revista científica BMJ, adicionar intervenções psicológicas no tratamento leva a maiores benefícios físicos e à diminuição da intensidade da dor.


Os cientistas queriam descobrir quais tipos de psicoterapia são mais eficazes. Foram analisados estudos com intervenções comportamentais, cognitivas, mindfullness, aconselhamento psicológico e programas de educação sobre a dor.


Para melhorar a função física, os pesquisadores descobriram que a combinação de terapia comportamental cognitiva aliada à fisioterapia ou o programa de educação sobre a dor com fisioterapia são mais eficientes do que a terapia física isolada. Para diminuir a intensidade da dor, terapia comportamental, comportamental cognitiva e educação sobre a dor parecem trazer bons resultados.


Porém, a eficácia mudou com o tempo — o maior impacto parece acontecer entre seis e 12 meses após o início do tratamento.


“Examinar a efetividade comparativa e a segurança de um grande número de intervenções psicológicas para dor crônica na parte de baixo das costas pode ajudar a melhorar as recomendações de cuidado e aumentar as informações para que médicos e pacientes estejam amparados para tomar decisões”, escrevem os pesquisadores.


Eles alertam que o estudo tem algumas limitações: ainda é preciso entender se há impacto depois de um ano de tratamento, e algumas das pesquisas analisadas não tinham dados de boa qualidade.


Fonte: Metrópoles

3 visualizações0 comentário