Estudantes de medicina lançam cursinho gratuito para ajudar vestibulandos de baixa renda a realizar

O sonho de se tornar médico move milhares de estudantes a dedicar horas em frente aos livros durante um ou mais anos. Muitos fazem cursinhos particulares preparatórios específicos, mas a possibilidade não alcança a todos os candidatos. Sabendo disso, alunos e professores do curso de medicina da Universidade Federal de Sergipe (UFS) se uniram para dar chances similares a todos.

Nesta primeira semana de fevereiro eles iniciaram as aulas do cursinho gratuito para estudantes da rede pública e pessoas de baixa renda terem acesso a uma base de conteúdos do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem.

Organizadora comemora início das aulas com crachá do cursinho — Foto: Arquivo pessoal

Organizadora comemora início das aulas com crachá do cursinho — Foto: Arquivo pessoal

Giulia Oliveira, 21, é uma das idealizadoras. Cotista, egressa do Colégio Estadual Atheneu Sergipense, em Aracaju, e bolsista de um cursinho particular, ela descobriu, nas próprias dificuldades, o desejo de ajudar outros estudantes.

“A gente sabe que o curso de medicina é muito difícil. E enquanto cotista queria que mais pessoas tivessem direito a ter o acesso. Geralmente, o estudante de escola pública ou de baixa renda que quer cursar, não tem condição por vários motivos. E até para quem tem, esse é um projeto de dois, três anos”, disse.
Livros doados para o cursinho — Foto: Giulia Oliveira

Livros doados para o cursinho — Foto: Giulia Oliveira

As salas de aula serão as da própria UFS, que avalia tornar o curso um projeto de extensão. A primeira turma conta com 50 participantes, de 15 a 40 anos de idade, que foram selecionados a partir de um processo aberto no fim no ano passado. A ideia é que os próprios alunos ensinem aos vestibulandos, sob a supervisão de um professor do curso, além de acompanhamento individual com um psicólogo. Para que o curso seja possível, foram organizadas ações de arrecadação de materiais, como livros didáticos usados.

“Alguns professores também estão contribuindo com dinheiro para ajudar com o transporte de pessoas que não têm condições de arcar com essa despesa, já que as aulas acontecem de segunda a sexta-feira”, completou a idealizadora.

Uma das beneficiadas é Anne Eduarda de Sá, 17, que cursa o 3º ano do ensino médio integral no Colégio Estadual Dom Luciano José Cabral Duarte. “A gente de colégio público é muito desmerecida nesse quesito. Quando eu soube desse cursinho disse ‘agora é a minha chance'”.

Anne Eduarda — Foto: Arquivo pessoal

Anne Eduarda — Foto: Arquivo pessoal

O homenageado

O projeto foi intitulado “Cursinho Popular de Medicina Dr. Almir Santana”, uma homenagem ao médico sergipano, também formado pela UFS e conhecido no estado pela luta na conscientização do Programa Estadual de DST/Aids há mais de 30 anos, além de ter pioneirismo no atendimento a pacientes com HIV.

“Estou muito contente por ter sido o escolhido. Dentro do possível, vou ajudar porque em algum momento, quando eu fiz vestibular, também não podia pagar e me ajudaram”, disse.

Dr. Almir Santana com os organizadores de cursinho popular de medicina da UFS — Foto: Arquivo pessoal

Dr. Almir Santana com os organizadores de cursinho popular de medicina da UFS — Foto: Arquivo pessoal

Fonte: G1

#baixarenda #curso #estudantes #vestibular

0 visualização0 comentário