Estímulo elétrico pode ajudar ex-fumantes a superar vício, diz estudo



Pesquisadores do Hospital Universitário de Dijon, na França, descobriram que ex-fumantes que passam por sessões regulares de estimulação cerebral externa têm duas vezes menos chance de voltar a fumar nos três a seis meses depois de parar com o cigarro.


A técnica usa uma corrente elétrica leve para ativar as células cerebrais que diminuem o desejo por nicotina.


Estima-se que uma em cada cinco pessoas que para de fumar acaba relapsando e voltando ao cigarro.


Algumas dicas para deixar de fumar incluem:


1. Definir uma época para deixar de fumar

É fundamental definir uma data ou um período para largar completamente o cigarro, em um intervalo nunca superior a 30 dias depois de ter pensado em deixar de fumar. Pode ser em um dia com significado, como terminar um curso, ter um novo emprego ou terminar um maço — a ideia é melhorar a motivação e facilitar o início.


2. Retirar objetos relacionados com o cigarro

Para deixar de fumar, deve-se tirar de casa e do trabalho todos os objetos relacionados ao cigarro, como cinzeiros, isqueiros ou pacotes de cigarro velhos.


3. Evitar o cheiro

Uma outra dica importante é evitar o cheiro do cigarro: por isso, deve-se lavar as roupas, cortinas, lençóis, toalhas e qualquer outro objeto que possa ter cheiro de cigarro. Evitar locais onde estão fumando também é aconselhável devido ao cheiro da fumaça.


Quando surgir a vontade de fumar, uma estratégia é mastigar um chiclete sem açúcar, por exemplo, para manter a boca ocupada e diminuir a necessidade de acender um cigarro.

É comum que a pessoa engorde ao parar de fumar, porque muitas vezes se substitui o cigarro por alimentos mais gordurosos e ricos em açúcar, facilitando o ganho de peso. Além disso, os aromas da comida tornam-se mais fortes e agradáveis, o que aumenta o apetite e acaba fazendo a pessoa comer mais.


Por isso, quando a vontade de fumar aparecer, é recomendado que a pessoa evite comer alimentos muito açucarados, pois além de facilitar o ganho de peso também aumenta a vontade de fumar. Dê preferência para sucos cítricos e palitinhos de frutas ou vegetais.


5. Fazer outras atividades prazerosas

Quando a vontade de fumar vier, é importante que a pessoa se distraia, fazendo atividades prazerosas que substituam o sentimento de perda.


Para deixar de fumar, o processo é mais fácil e menos custoso quando a família e os amigos próximos estão envolvidos no processo e ajudam, respeitando os sintomas caraterísticos da abstinência, como irritabilidade, ansiedade, depressão, inquietação, mal-estar físico, dores de cabeça e alterações do sono, por exemplo.


7. Fazer psicoterapia

O contato com um psicólogo ou psiquiatra também pode ajudar no processo, principalmente durante as crises de abstinência. Isso porque o profissional irá ajudar a identificar o que faz aumentar a vontade e, assim, indicar formas de aliviar o desejo de fumar.


Em alguns casos, o psiquiatra pode indicar o uso de alguns remédios que ajudam o organismo a adaptar-se e a desintoxicar do vício do cigarro.


8. Fazer acupuntura

A acupuntura é uma terapia alternativa que pode ajudar também a diminuir o vício no cigarro porque ajuda a combater a ansiedade e a diminuir os sintomas de abstinência. Além disso, a acupuntura promove a liberação de endorfina e serotonina, promovendo a sensação de prazer e bem-estar. (Com informações do portal Tua Saúde)


Fonte: Metrópoles

4 visualizações0 comentário