Esqueceu de novo? Especialista ensina truque para turbinar memória


 
 

Com tantas atividades no nosso dia a dia, é comum esquecer onde se guardou determinado objeto, e até mesmo, perder o horário de tomar um medicamento.


Contudo, quando a perda de memória é frequente, isso pode indicar um mau funcionamento do cérebro, que nem sempre está associado a um estresse momentâneo. Para evitar problemas assim, é importante fazer exercícios que estimulem a neuroplasticidade cerebral.


Os exercícios fazem com que os neurônios criem novas redes de comunicação entre si. Se você tem problemas de foco ou de esquecimento, pode se beneficiar de técnicas que ajudam o cérebro a funcionar melhor.


Especializado em neuroplasticidade e inteligência artificial, o neurocientista Fabiano de Abreu Rodrigues, afirma que existem técnicas que previnem e revertem a perda de memória.

“Em caso de doença neurodegenerativa, é importante entender que não tem cura, apenas meios de retardar o problema. Agora, danos de memória derivados do estresse, da depressão e TDAH podem ser recuperados”, afirma o especialista.
Técnicas para melhorar a memória

O neurocientista recomenda que as pessoas com dificuldades relacionadas à memória procurem ler mais, praticar exercícios físicos e cuidar da alimentação. Além disso, é importante ter boas noites de sono, completando às oito horas diárias e evitar adormecer apenas de madrugada.


“Sugiro também a prática de repetição, como reescrever o que você leu e realizar leituras em voz alta. Com esse hábito, você armazena melhor o que aprendeu. Essa para mim é a melhor técnica”, afirma Fabiano de Abreu, membro da Federação Europeia de Neurociências e da Sociedade Brasileira e Portuguesa de Neurociências.

Causas mais comuns de perda de memória

Além da falta de exercícios mentais, existem outras causas que podem estar relacionadas à perda de memória. São elas:

  • Estresse e ansiedade;

  • Falta de atenção;

  • Depressão;

  • Hipotireoidismo;

  • Falta de vitamina B12;

  • Uso de remédios para ansiedade;

  • Uso de drogas;

  • Dormir menos de 6 horas;

  • Demência de Alzheimer.

Procure ajuda profissional

É importante consultar o médico quando a perda de memória estiver afetando o seu bem-estar, prejudicando o seu rendimento profissional ou o seu convívio social com as outras pessoas. Neste caso, o profissional da saúde indicado não é só o médico, mas também um psicólogo ou psicanalista.


Fonte: Metrópoles

7 visualizações0 comentário