Entenda por que descansar entre os treinos é importante para emagrecer


Quando se trata de melhorar o condicionamento físico, o tempo de descanso é tão importante quanto aquele que se gasta malhando. Muita gente não sabe disso é acaba ultrapassando os limites do corpo em uma situação conhecida como “overtraining”.


O professor John Hough, da Nottingham Trent University, do Reino Unido, explica que é importante reservar tempo suficiente para se recuperar entre as sessões de treinamento. Em artigo publicado no site The Conversation, ele explica que o treinamento excessivo pode causar problemas de saúde e até atrapalhar o emagrecimento – se esse for o objetivo perseguido na academia.


O overtraining ou excesso de treinamento físico ocorre quando há um desequilíbrio entre a quantidade de exercícios que você faz e a quantidade de tempo de repouso/descanso feito entre as sessões de malhação.


Segundo John Hough, o desequilíbrio entre o treinamento e o descanso pode causar problemas ao sistema imunológico, provocar alterações na atividade hormonal e levar o atleta amador a um estado de mal estar e fadiga persistente.


Quando associado ao estresse do dia a dia, má alimentação e ausência de orientação e acompanhamento adequado, o overtraining pode até resultar em mais gordura acumulada no corpo.


Overtraining e o cortisol

Hough explica que quem treina frequentemente em nível alto experimenta aumento de cortisol circulando no corpo. O hormônio provoca a ativação de uma enzima chamada lipase lipoproteica, que está presente nas células de gordura. Essa enzima envia um estímulo ao corpo para que se aumente a reserva de gordura.

A recomendação do especialista é que os atletas não profissionais adicionem alguma atividade leve à rotina, como uma caminhada ao ar livre ou exercícios leves, que ajudam a queimar calorias sem exigir tanto dos músculos.


Também é importante programar dias de descanso na rotina de exercícios, permitindo que os músculos se recuperem. A indicação geral sobre o intervalo de repouso é de 48 horas, mas pode variar de pessoa para pessoa e deve ser definida junto com um profissional da área de saúde.


Fonte: Metrópoles

8 visualizações0 comentário